Turismo

Você está em: Home, Turismo, Turismo Religioso e Cultural

Abril de 2015

Turismo Religioso e Cultural

Um grupo de passenses fez um tour pela Europa com o objetivo de conhecer alguns dos principais pontos religiosos do velho continente. Entre as cidades visitadas eles passaram por Ávila, na Espanha, terra de Santa Tereza de Ávila, fundadora do Carmelo São José, e Messina, na Itália, terra do Santo Anibale Maria de Francia, fundador da Congregação dos Padres Rogacionistas do Educandário.

Marcos e Marcelo Esper no museu de Santa Tereza de Ávila, em Ávila, na Espanha, onde viveu a fundadora das Carmelitas Descalças.
Marcos e Marcelo Esper no museu de Santa Tereza de Ávila, em Ávila, na Espanha, onde viveu a fundadora das Carmelitas Descalças.

O primeiro destino dos irmãos Marcelo e Marcos Esper, que estavam acompanhados pelos amigos João Pedro e Rita Natir, foi a Espanha. Eles chegaram à capital Madri e de lá foram para a cidade de Ávila, terra natal de Santa Tereza de Ávila, fundadora das Carmelitas Descalças, onde ficaram dois dias. 

“Ávila é uma cidade medieval, muralhada e repleta de construções antigas. Visitamos a igreja e o museu de Santa Tereza, que é o lugar onde ela nasceu. O museu tem a reconstituição da cela onde Santa Tereza ficava e tem uma música própria para o lugar, interpretada por uma irmã carmelita”, conta o músico e professor Marcelo Esper, que juntamente com seu irmão Marcos cantam e tocam há mais de 20 anos em casamentos e missas.

De Ávila o grupo seguiu para Messina, no sul da Itália, onde conheceram o Instituto Rogacionista, que é a sede da congregação rogacionista, a Igreja de Santo Antônio e a Cripta, que fica na parte interna do Instituto, e é o local onde está o corpo incorrupto de Santo Anibale que desenvolveu um especial amor e compreensão às necessidades das crianças órfãs e abandonadas. “Vários momentos emocionantes e a concretização de um sonho”, destaca Marcelo Esper, que rege o Coral Arabesque do Educandário Senhor Bom Jesus dos Passos, entidade atendida pelos padres da congregação Rogacionista na qual Marcelo chegou a ser seminarista.

Marcelo, Rita Natir e Marcos Esper em frente a Igreja de São Pedro em Ávila, Espanha.
Marcelo, Rita Natir e Marcos Esper em frente a Igreja de São Pedro em Ávila, Espanha.

O músico afirma que o grupo foi muito bem recebido pelos padres rogacionistas e que inclusive pediram para eles cantarem durante uma missa. Conta também sobre a beleza da catedral de Messina que remonta ao período bizantino. A construção sofreu um incêndio em 1254, sobreviveu a um terremoto em 1783 e um outro em 1908. Durante um ataque aéreo em junho de 1943, duas bombas incendiárias reduziram a catedral a uma pilha de escombros e só foi reaberta ao culto em 1947. O relógio da catedral de Messina é o maior e mais complexo relógio mecânico astronômico do mundo. Ao meio dia, as estátuas de bronze começam a se mover e a emitir sons em um grande espetáculo. 

O próximo destino do grupo foi Viena, capital da Áustria, onde permaneceram por cinco dias. Na capital austríaca o grupo diversificou o roteiro e também conheceu pontos culturais, além da oportunidade de assistir “O Barbeiro de Sevilha” na ópera de Viena. “Na ópera é necessário mais do que uma interpretação. A afinação da orquestra aliada à precisão vocal dos cantores é algo espantoso, fascinante”, ressalta.

Marcelo Esper na fachada do Musikverein, uma das salas de concerto mais importantes de Viena.
Marcelo Esper na fachada do Musikverein, uma das salas de concerto mais importantes de Viena.

Outro momento que deixou Marcelo emocionado foi a apresentação dos Meninos Cantores de Viena acompanhados pela Orquestra de Viena na Capela do Palácio. “Quando termina a missa eles descem e se apresentam em frente às pessoas. O nível de interpretação musical é altíssimo. A música erudita é algo que os austríacos valorizam muito”, ressalta Marcelo.

Um dos pontos que mais chamou a atenção do irmão de Marcelo, Marcos Esper, foi o museu de Freud, em Viena, em referência ao psicanalista Sigmund Freud. Marcos é psicanalista e teve a oportunidade de participar de um workshop. O cemitério de Viena, segundo Marcelo, é muito amplo, organizado e limpo. Lá estão enterrados compositores célebres como Beethoven, Mozart, Schubert entre outros.

Em Viena, Marcelo destaca que o que mais o impressionou foi o grau de cultura e civilização da população local, além do eficiente e bem organizado transporte público austríaco. 

Em Portugal, eles estiveram em Lisboa e Fátima, que fechou o roteiro religioso. “Foi sem dúvida uma oportunidade, além de emocionante, muito especial, pois conhecemos mais sobre a história da igreja católica e sobre a cultura de um povo que entendeu o sentido da palavra respeito”, finaliza.

Renato Rodrigues Delfraro

Marcos e Marcelo Esper no museu de Santa Tereza de Ávila ,em Ávila, na Espanha, onde viveu a fundadora das Carmelitas Descalças.

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus