Turismo

Voc está em: Home, Turismo, A vida depois dos 60 debaixo d´água

Maio de 2015

A vida depois dos 60 debaixo d´água

Professora de português curte a vida contemplando o fundo do mar

Dona de uma alegria contagiante, essa é a querida Valdete Aparecida Santos Ribeiro, da cidade de Alpinópolis. Depois dos 60 anos, essa agradável professora de português, deixa os livros de lado em suas folgas e revela que adora viajar e praticar o mergulho em suas aventuras pelo Brasil. Sim, mergulho! “Sempre fui fascinada por água e com a influência do meu filho, que também é apaixonado por mergulho, fui aprender”.
 
Minha paixão é viajar. Muitos gostam de carros importados, casas luxuosas, joias. Eu gosto de viajar.
 
Em busca de realização e satisfação pessoal, aos 62 anos, Valdete viajou em janeiro do ano passado, na companhia do seu marido Carlos, para Fernando de Noronha, um arquipélago brasileiro que se localiza no estado de Pernambuco, um dos principais cartões postais do Brasil, com o mais belo conjunto de praias do país. Ela planejou toda a viagem sozinha, desde as compras das passagens até a escolha da pousada e da agência de mergulho. Com muita disposição e carteira de habilitação para o mergulho em mãos, ela se joga pelo fundo do mar em uma das mais belas paisagens debaixo dos seus pés. Nessa viagem, Valdete se surpreende com o respeito dos moradores ao meio ambiente. “É inexplicável o respeito à fauna e flora. Lá, primeiro é a natureza, depois o ser humano. Na maioria dos lugares, é proibido pisar nos corais, por isso a obrigatoriedade do uso do colete.” 
 
TAXAS DE PRESERVAÇÃO
 
Assim que chegam ao aeroporto, já são instruídos a preservar o meio ambiente e pagam uma taxa para essa preservação. Ela é cobrada de acordo com os dias de permanência na ilha e pode ser paga pela internet antes da viagem, o que é bom para o turista, pois o aeroporto do arquipélago é pequeno e esse serviço pode demorar um pouquinho.  Outra taxa a ser paga é o ingresso para visitar a área do Parque Nacional Marinho, que é válida por 10 dias. São isentos dessa taxa maiores de 60 anos, menores de 12, pesquisadores em serviço, moradores e seus parentes em primeiro e segundo graus.
 
Com vistas deslumbrantes e naturais, Valdete mergulhou em dois pontos  do arquipélago e se apaixonou pela riqueza marinha e preservação que conseguem manter, mesmo com tantas visitas de turistas ao longo do ano. A convivência com os animais é algo natural para os moradores, que os respeitam antes de tudo. Uma das curiosidades é que as visitas a Noronha são agendadas anteriormente, pois há limite de turistas para 
 
Baía do Sancho, onde os turistas fazem
Baía do Sancho, onde os turistas fazem "snorkling".

HOSPEDAGEM

 
As pousadas possuem fachadas simples e rústicas, porém são muito aconchegantes e chamam a atenção de quem está por lá. O ambiente familiar e o serviço mais informal também encantam os visitantes. Há pousadas consideradas “top”, que cobram um preço bem salgado, mas há outras (muitas!) que cobram um preço mais em conta e que não deixam nada a desejar. Aliás, num paraíso como aquele, o que o turista menos quer é ficar dentro da pousada, por mais luxuosa que seja. 
 
ENCONTROS INUSITADOS
 
Na praia do Sueste, uma das mais famosas da ilha, a professora conta que fez “snorkling” a 1 metro de um tubarão lixa, viu tartarugas marinhas, peixes de várias espécies e uma moreia. Foi, junto com mergulho de cilindro no “Mar de Dentro”, uma das experiências mais incríveis de sua vida. “Não tem como descrever a emoção de estar tão perto desses animais, é sensacional”, ressalta Valdete. 
 
A maioria dos turistas que procuram esse roteiro vão para contemplar a vida submarina, poucos vão para banho. Em outras praias, como Praia do Atalaia, turistas com colete, snorkel e máscara podem flutuar no berçário natural observando as várias espécies que existem por lá. E não precisa ir até o fundo para curtir esse contato. Aliás, esse fundo nem existe. No berçário, a   profundidade não passa de um metro. O seu marido, que ainda não é adepto da prática do mergulho, ficou com a parte de curtir a curiosa vida marinha através da máscara e do snorkel.
 
REFEIÇÕES
 
Não é muito raro o turista pegar o cardápio, fazer a escolha do prato e ouvir que não é possível servir aquele prato, porque o ingrediente não chegou. “Você pode correr o risco de pedir uma carne e o garçom dizer, com naturalidade, que não tem, pois não chegou”, conta Valdete. Toda a vida lá depende das entregas dos alimentos que vêm, na maioria das vezes, de barco. Mas os visitantes elogiam o ótimo atendimento nos restaurantes da ilha. E como em toda boa praia, os pratos mais desejados são os diferentes pratos de peixes.
 
Valdete indica o restaurante da pousada do Zé Maria e o Restaurante Flamboyant, sendo esse o mais econômico. 
 
POSTOS DE SAÚDE
 
Noronha tem um hospital onde também funciona atendimento odontológico.   Segundo informações dos moradores locais, o hospital não está equipado para   atendimentos mais complexos. Em caso de gravidez, por exemplo, aos sete   meses de gestação, a gestante é levada para o continente (Fortaleza, Natal ou   Recife) e, no caso de não ter onde ficar, a administração da ilha paga a estadia dela em hotel.
 
A preparação para o mergulho deve ser cuidadosa.
A preparação para o mergulho deve ser cuidadosa.

 

POR QUE VOLTAR?
 
A professora diz que espera voltar no próximo ano, para fazer o mergulho noturno, “nunca mergulhei á noite, e recebi o convite de dois instrutores de lá para voltar e realizar esse passeio”.  
“Me perguntam porque existem poucas pessoas mais de 50 anos que praticam mergulho: É porque nunca fizeram. Se mergulharem, vamos ter muitos vovôs e vovós mergulhando por aí no futuro.”  
 
TRANSPORTE
 
Em Fernando de Noronha você tem a opção de alugar um buggy, para quem quer a liberdade de ir e vir pode usar transporte público ou táxi. 
 
DICAS DE PASSEIO
 
Ilha Tour - é um tour por toda ilha, com um guia mostrando as praias do   arquipélago. Esse passeio, segundo Valdete, deve ser feito no primeiro dia,   para que a pessoa conheça todos os pontos e possa escolher aqueles a que deseja voltar.
 
Passeio de NAVE - Uma hidronave onde os passageiros têm uma visão do fundo do mar, através de um vidro, com um nítida visualização.  
 
Passeio de Barco - Esse passeio costeia o Mar de Dentro de ponta a ponta, podendo os viajantes admirar golfinhos nadando ao lado do barco e depois ainda darem um mergulho na Baía do Sancho. Uma dica importante é se prevenir contra enjôos com uso de medicamentos. Tanto no passeio de barco   como no da nave, o mar joga muito e é muito comum as pessoas terem enjôo. Para não perder o passeio, é melhor se prevenir.
 
Depois do primeiro mergulho, pausa para descansar, trocar o cilindro e cair na água novamente.
Depois do primeiro mergulho, pausa para descansar, trocar o cilindro e cair na água novamente.

NÃO RECOMENDA

 
Valdete não recomenda levar crianças muito pequenas para essa viagem, pois   os passeios são cansativos. Diz a professora que viu, em muitos dos   restaurantes a que foi jantar, crianças muito cansadas, com sono, inquietas,   dando trabalho aos pais, que queriam jantar antes de irem dormir.
 
RECOMENDA
 
Fazer um tour pelas praias, pois todas são maravilhosas e, claro, mergulhar. Não é necessário ser credenciado, pois há instrutores por toda parte e, depois   de algumas horas de instrução básica, as pessoas podem fazer o mergulho de  “batismo”, em que o instrutor vai, quase sempre, segurando o mergulhador novato.
 
COMO CHEGAR A FERNANDO DE NORONHA
 
Para quem se interessa em conhecer esse paraíso, há voos para Fernando de Noronha partindo de Natal, Recife ou Fortaleza e a viagem leva aproximadamente 1h20min. Para chegar a qualquer uma dessas cidades, há aviões partindo todos os dias, em vários horários, de cidades como Ribeirão Preto, São Paulo ou Belo Horizonte, para citar apenas as de mais fácil acesso para quem mora na região. Hotéis e pousadas oferecem traslado grátis a partir do aeroporto. Quase todas oferecem também o traslado de volta para o aeroporto.
 
A nave tem uma espécia de relógio para as pessoas identificarem o lugar onde veem as novidades.
A nave tem uma espécia de relógio para as pessoas identificarem o lugar onde veem as novidades. "Golfinho nove horas". Todos olham para o número 9 e vêem o golfinho.

CURIOSIDADE

Fernando de Noronha é dividida em duas costas, o Mar de Dentro, voltado para o Brasil e o Mar de Fora, voltado para a África. As praias de águas mais cristalinas ficam voltadas para o país, entre elas, as mais bonitas da ilha: Sancho, Baía dos Porcos e Cacimba do Padre. É deste lado também que o sol se põe, reunindo turistas nas praias da Conceição e do Boldró. 
 
QUANDO IR
 
As diárias ficam mais baratas entre março e junho, quando chove mais (o que não costuma atrapalhar os passeios). Entre setembro e outubro, o mar é perfeito para mergulhos. E, de dezembro a fevereiro, as ondas favorecem os surfistas. 
 
LEVE EM CONTA
 
Leve em conta a localização na hora de fazer a reserva. Nas vilas do Trinta e Floresta Velha, há mercadinhos por perto, mas a praia fica mais distante. Quem fica em Floresta Nova e na Vila dos Remédios (o centrinho da ilha) consegue, fazendo caminhadas um pouco puxadas, chegar às   praias do Cachorro, do Meio e da Conceição. 
 
Morro Dois Irmãos, cartão postal de Noronha.
Morro Dois Irmãos, cartão postal de Noronha.

DICA INFALÍVEL

Para viajar, a gente precisa marcar tudo com bastante antecedência. Se   deixar para fazer reserva muito próximo da data de partida, a gente acaba não   indo. Sempre achamos que o dinheiro está curto, que as circunstâncias não   permitem, enfim, há sempre alguma coisa que impede a viagem. Então, fica a dica: marque com antecedência! O dia chega e você vai mesmo.  Valdete ganhou de seu filho Danilo, o mais velho dos três, o curso de mergulho na Escola Acquaminas em Passos há dois anos, com os instrutores Gilberto e   Denise. Fez 12 horas de aulas teóricas, 15 horas de aulas em piscina e 5 mergulhos, para conseguir a carteirinha.
A vida depois dos 60 debaixo d´água

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus