Saúde

Você está em: Home, Saúde, Cirugia plástica de pálpebra

Outubro de 2016

Cirugia plástica de pálpebra

Operações para fins estéticos e para correção de patologias na região dos olhos estão entre as mais populares no mundo

Dra. Elisa Brasileiro Piantino
Dra. Elisa Brasileiro Piantino
é médica passense radicada em São Paulo. Membro do corpo clínico da Santa Casa de Passos e do Hospital Albert Einstein. Realiza suas blefaroplastias em ambos. 

As pálpebras são estruturas muito delicadas que têm funções de proteção, oclusão (abrir e fechar) e manutenção da lubrificação dos olhos. Elas possuem a pele mais fina do corpo humano e a mais sensível ao envelhecimento, que é regido por fatores genéticos, alimentação, tabagismo e exposição solar. Por isso, a região ocular é a primeira que entrega os sinais do tempo, explica a oftalmologista Elisa Brasileiro Piantino.

A pálpebra também pode ter suas funções comprometidas por alterações advindas de doenças, tumores e lacerações por traumas. No entanto, é possível tratar ambos os casos (estético e patológico) através da cirurgia oculoplástica. 
 
A blefaroplastia é uma das cirurgias plásticas mais populares do mundo, só perdendo para a mamoplastia de aumento e para a lipoaspiração, segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica de Estética divulgados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
 
O procedimento está na lista do SUS (Sistema Único de Saúde) e convênios, quando é para reconstrução da pálpebra. As cirurgias para fins estéticos, no entanto, são quase exclusivamente particulares. 
 
 
Dra. Elisa Brasileiro Piantino e Dr. Evaldo Piantino
Dra. Elisa Brasileiro Piantino e Dr. Evaldo Piantino em participação recente no Congresso de Cirurgia Estética Peri-Ocular no Rio de Janeiro.

 

 
Dr. Evaldo e Dra. Elisa ladeando o oftalmologista Dr. Eduardo Soares.
Dr. Evaldo e Dra. Elisa ladeando o oftalmologista Dr. Eduardo Soares, considerado o maior nome da Cirurgia Plástica Ocular, no  último Congresso da USP em São Paulo.

 

 
 
Especialista pela Associação Médica Brasileira, a doutora Elisa Piantino é membro do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, onde reside, e da Santa Casa de Passos. Ela vem a Passos regularmente para realizar cirurgias agendadas no consultório de seu pai, o também especialista Evaldo Ézio Piantino. Esse agendamento é feito após avaliação do Dr. Evaldo. Depois, juntos, os dois especialistas planejam e, oportunamente, realizam as cirurgias.

O QUE É

Segundo a doutora Elisa Piantino, a oculoplástica é a subespecialidade oftalmológica que engloba os tratamentos de reconstrução e rejuvenescimento ao redor dos olhos. Antes de realizar a cirurgia, é fundamental um planejamento através de minucioso exame pré-operatório.

Diversos fatores, como doenças pré-existentes, tabagismo, genética, etnia e até expectativas não realísticas do paciente, devem ser considerados no planejamento cirúrgico. Os cuidados pós-operatórios devem ser rigorosamente seguidos para não afetar a cicatrização e interferir no resultado. 


“O oftalmologista oculoplástico alia o seu conhecimento anatômico e funcional da região dos olhos aos princípios da cirurgia plástica para alcançar os melhores resultados, minimizando os riscos de complicações”, disse.
 
.


PACIENTES

Por abordar até doenças congênitas, não há um limite de idade para a realização dessa cirurgia, mas, segundo a médica, o maior contingente de pacientes é de pessoas que somam mais anos de vida e apresentam rugas e flacidez de pele na região ocular. Com o passar dos anos ocorrem diminuição do colágeno e perda da elasticidade da pele. Ocorre ainda perda do tecido ósseo e gorduroso, causando a queda da pele e de tecidos moles em toda a face, especialmente ao redor dos olhos.
 
O enfraquecimento do septo orbitário, outro fator ligado à idade, propicia o surgimento das famosas bolsas gordurosas palpebrais que dão ao rosto um aspecto de edema e cansaço.
 
“Essas alterações podem se tornar visíveis a partir dos 40 anos de idade e podem causar prejuízo na oclusão e até exposição ocular, com sintomas de ardor, vermelhidão e lacrimejamento. A blefaroplastia é realizada tanto para remover o excesso de pele quanto de gorduras da região periocular e para reforçar e reinserir os ligamentos de sustentação palpebrais, promovendo uma aparência mais jovem e harmoniosa da área em questão”, explica a Dra Elisa. 
 
Esse tipo de cirurgia, no entanto, pode ser contra-indicado para alguns pacientes, sendo que cada caso deve ser avaliado individualmente. “As contra-indicações dependem de muitos fatores, como, por exemplo, o tipo de patologia, abordagem cirúrgica e estado clínico do paciente. A avaliação pré-operatória é muito importante, pois um resultado eficaz provém de uma correta indicação”, justifica a oftalmologista. 
.

 

RESULTADOS

O trabalho conjunto de Elisa e Evaldo Piantino na oculoplástica já resulta num currículo cirúrgico de realizações bem sucedidas. “Habitualmente, temos obtido ótimos resultados, mutuamente gratificantes, tanto para os pacientes que se satisfazem esteticamente e melhoram sua autoestima, quanto para nós cirurgiões, ao contemplarmos o resultado obtido”, diz a oftalmologista.
 
 
Enio Modesto
 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus