Saúde

Você está em: Home, Saúde, Dermatite de Contato

Março de 2017

Dermatite de Contato

Dra. Fernanda Queiroz

 

 

 

O que é?

A Dermatite de Contato é uma reação inflamatória da pele resultante da exposição a diversos agentes presentes no ambiente. É uma das doenças ocupacionais mais frequentes, com grande impacto socioeconômico. 

 Existem dois tipos de dermatite de contato: a irritativa e a alérgica. 
 A dermatite irritativa é causada por substâncias ácidas ou alcalinas, como sabonetes, detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. Pode se apresentar na primeira vez em que entrarmos em contato com o agente causador e é uma forma que ocorre em grande número de pessoas. As lesões da pele são geralmente restritas ao local de contato.
 
A dermatite alérgica de contato aparece, geralmente, após a segunda exposição a um produto ou substância. Ocorre, em geral, pelo contato com substâncias de uso diário e frequente, como perfumes, cremes hidratantes, esmaltes de unha, medicamentos de uso tópico, entre outros. As lesões da pele acontecem no local de contato, podendo atingir outros à distância.
 Alguns produtos causam reações alérgicas somente após exposição solar concomitante, como o sumo de frutas cítricas e perfumes. Outros produtos podem entrar em contato com a pele quando carregados pelo ar, como inseticidas em spray e perfumes ambiente.
 
Quais os sintomas?
 
 Os sintomas são variáveis, podendo ocorrer ardência, vermelhidão e coceira intensa. A dermatite alérgica provoca uma reação na pele no local em que a substância entrou em contato. A reação alérgica surge após 24 a 48 horas da exposição. A lesão pode ser elevada, apresentar vesículas ou bolhas no local e crostas. A dermatite  irritante torna a pele seca, vermelha e áspera. 
 As mãos são um local comum de dermatite de contato. Vários agentes podem ser causadores: produtos de limpeza, cosméticos (cremes e loções hidratantes) e são frequentemente afetadas em atividades profissionais, como cabeleireiros, auxiliares de limpeza e pedreiros.
 
 
Como é feito o diagnóstico?
 
A confirmação do quadro de dermatite de contato baseia-se na história contada pelo paciente de exposição a um agente irritante ou alérgeno e no aspecto das lesões da pele. Quando existe suspeita de se tratar de uma dermatite alérgica, está indicado o Teste de Contato ou Patch-Test, que é um método no qual se aplica no dorso do paciente os agentes mais prováveis de terem causado a reação. O Patch-Test é realizado da seguinte forma:
 
1ª consulta: pequenas fitas adesivas contendo pequenas amostras de possíveis alérgenos são coladas na pele do dorso.
2ª consulta: retirada das fitas adesivas para primeira leitura (48 horas após a aplicação).
3ª consulta: segunda leitura dos testes (48 horas após a retirada).
O teste será positivo se houver surgimento de pequena lesão avermelhada ou com vesículas na área correspondente à substância que o paciente é alérgico. São testadas 30 substâncias padrão, além da bateria de cosméticos, de acordo com os alérgenos sugeridos pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e International Contact Dermatitis Research Group.
 
Como é o tratamento?
.

 

 
 
Depende da extensão e gravidade do caso. Pode ser apenas local ou incluir medicações via oral ou injetáveis. Higienização com água para remover qualquer vestígio do irritante ou alérgeno que possa ter permanecido na pele é um dos primeiros passos. Cremes ou pomadas de corticosteróides são utilizados para reduzir a inflamação da pele. É fundamental seguir atentamente as instruções ao usar esses cremes. O uso excessivo, mesmo dos menos potentes, pode deixar a pele dependendo do produto. Imunomoduladores tópicos podem também ser utilizados.  Evitar a automedicação é fundamental para o correto tratamento. Procure sempre o Dermatologista para o tratamento da sua pele. 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus