Saúde

Você está em: Home, Saúde, Enfermagem: SEI 2017 consolida integração

Junho de 2017

Enfermagem: SEI 2017 consolida integração

Realizada na Câmara de Vereadores de Passos, nos dias 23 e 24 de maio, a 3ª Semana de Enfermagem Integrada vem se firmando como um dos mais aguardados eventos educativos e agora, científicos, da região.

.
Parte da comissão organizadora do evento: Jamila Gonçalves, Fernanda Schmidt, Beatriz Lélis, Josely Moura, Heloísa Turcatto, Marilene Oliveira.

 


A terceira edição da Semana de Enfermagem Integrada (SEI 2017) consolidou o evento em Passos e região, segundo seus organizadores, alcançando a adesão de diversas instituições de ensino e assistência em saúde. Com mais de 250 pessoas inscritas para participarem das atividades que seriam realizadas, a SEI é promovida desde o ano de 2015 pelo Instituto Federal do Sul de Minas (Ifsuldeminas), Campus de Passos, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) e várias instituições parceiras. Nesta edição, o evento foi reforçado com a apresentação de trabalhos de pesquisas acadêmicas e de profissionais de instituições de atendimento – o 1º Encontro Científico.
 
A SEI 2017 foi realizada na Câmara de Vereadores em 23 e 24 de maio, em período integral, com quatro minicursos e quatro palestras, além da apresentação dos trabalhos pelo 1º Encontro Científico, que representou o grande avanço da “Semana”. Dentre os palestrantes e instrutores dos minicursos estavam professores do Ifsuldeminas campus de Passos, das universidades de São Paulo (USP) e do Estado de Minas Gerais (UEMG) e profissionais da Santa Casa de Misericórdia de Passos e MG Transplantes.
.
Um grande público formado por estudantes e profissionais de enfermagem que lotou a Câmara durante a SEI 2017.

 


Uniram-se ao Ifsuldeminas para a promoção e realização da “Semana” a UEMG, Superintendência Regional de Saúde, Prefeitura de Passos, Unimed, Coren (Conselho Regional de Enfermagem) e Santa Casa.
 
O evento foi organizado por uma comissão de dez pessoas, entre docentes e profissionais de enfermagem representantes das instituições parceiras: as professoras dos cursos técnicos e de pós-graduação em enfermagem do Ifsuldeminas Fernanda Mateus Queiroz Schmidt, Heloisa Turcatto Gimenes Faria e Jamila Souza Gonçalves; as professoras Josely Pinto de Moura (coordenadora do curso de enfermagem da UEMG) e Beatriz Dutra Brazão Lélis (também da Uemg), que concederam entrevista para a Foco juntamente com Marilene Elvira de Faria Oliveira, docente do Ifsuldeminas e da UEMG. 
 
Também fizeram parte da comissão organizadora os professores do Ifsuldeminas Juliano de Souza Caliari, Maria Inês Lemos Coelho Ribeiro, Yeda Maria Antunes de Siqueira e Sigelberto Vidal de Castro, e Thaís Cristina Ramos, da Unimed.
 
Idealizado pelo professor Juliano de Souza Caliari no sentido de integrar ensino, pesquisa, extensão e assistência, a SEI busca promover o compartilhamento de experiências e proporcionar atualização para professores, alunos e profissionais de enfermagem, com ênfase nos trabalhos científicos.
 
ENCONTRO
.
Expositores do 1º Encontro Científico.

 

 

Nesta primeira edição do Encontro Científico, houve a inscrição de mais de 50 trabalhos de alunos de cursos de enfermagem da UEMG e Ifsuldeminas e 44 foram aprovados para serem apresentados nos dois dias do evento. A apresentação foi no formato de pôsteres, que traziam o resumo de cada trabalho. 
Entre outros participantes, o “Encontro” teve trabalhos de pesquisadores, estudantes e servidores do Ifsuldeminas, da UEMG, Libertas Faculdades Integradas, profissionais de enfermagem da Santa Casa de Passos e do Hospital São José.
 
Os três melhores resumos foram premiados e serão publicados na revista eletrônica do Ifsuldeminas, “Eixos Tech”, e todos os trabalhos farão parte dos anais da instituição, o que será considerado como produção científica e contará pontos para o Currículo Lattes, que é uma plataforma do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) onde é registrada a produção do mundo acadêmico nacional.
 
Com o Encontro Científico, a Semana de Enfermagem Integrada atingiu um de seus objetivos, que é aproximar teoria e prática, conforme ressaltam as professoras Fernanda Schmidt e Beatriz Lélis. “Eu, sinceramente, nunca tinha visto antes esse alcance (da SEI), o que é fundamental para unir a pesquisa com o que a assistência precisa, porque desde a faculdade a gente via uma distância entre o ensino e a assistência”, disse Fernanda Schmidt. 
 
“O grande avanço deste ano foi trazermos esse conhecimento científico para junto do teórico, fazendo com que a integração dos serviços fique cada vez mais consolidada”, avalia Beatriz Lélis.
.
Exposição dos pôsteres dos trabalhos apresentados no 1º Encontro Científico da SEI.

 

 
SUCESSO
 
 O auditório da Câmara, que tem capacidade para 500 pessoas, ficou lotado, tamanho o interesse pelo evento, segundo ressalta a comissão organizadora. Além dos estudantes e profissionais de enfermagem, havia gente de outras áreas da saúde, como nutrição, biomedicina, estética e cosmética, medicina e até de engenharia de produção, através da Universidade Federal de São João Del Rei.
 
Para Josely Pinto de Moura, o sucesso de público da SEI 2017 se deveu à importância e à atualidade dos assuntos que seriam abordados. “Foram as escolhas dos temas e dos palestrantes, o que mostra que a gente está indo de encontro com os interesses dos alunos. Em 2016, fizemos minicursos para 50 pessoas. Neste ano, houve mais de 200 inscrições. Tivemos que correr para arrumar espaço para caber todo mundo”, disse.
 
Outro fator que contribuiu para o êxito da “Semana” foi o empenho de alunos de enfermagem que trabalharam no registro das inscrições, na recepção do público e identificação dos locais dos pôsteres do Encontro Científico, entre outros afazeres que proporcionaram ao público, palestrantes e professores as melhores condições para aproveitarem o evento.
 
A comissão organizadora também observa que a SEI foi realizada praticamente sem dinheiro e que só foi possível graças à colaboração dos estudantes e professores e do trabalho gratuito dos palestrantes e profissionais que ministraram os minicursos (sobre as palestras e os minicursos, veja aqui).
 
 
Docentes avaliam SEI 2017
 
A pedido da Foco, integrantes da comissão organizadora da 3ª Semana de Enfermagem Integrada (SEI 2017) e a professora Marilene Elvira de Faria Oliveira, docente do Ifsuldeminas e da UEMG, fizeram uma avaliação do evento deste ano. 
.
Beatriz, Heloisa, Fernanda, Marilene, Jamila, Josely.

 

 
Marilene Oliveira: “Eu acho que o evento tem um peso muito grande para os profissionais de saúde e atingiu um público externo à enfermagem, como a engenharia de produção (da Universidade Federal de São João Del Rei). A gente fica na expectativa que dê continuidade, porque eu acho importante essa integração das diversas interfaces da saúde.”
 
Josely de Moura: “Foi uma grande satisfação para nós a presença maciça dos alunos e professores, que foram nosso público-alvo. É muito gratificante estarmos proporcionando a essas pessoas novos conhecimentos e consequentemente aprimorando sua formação profissional. Enfatizo também que o Evento Científico foi o grande diferencial deste ano, que veio para aliar o ensino à pesquisa.”
 
Jamila Gonçalves: “Eu acredito que teve um crescimento significativo e evoluiu desde o primeiro ano. E isso ficou mais visível neste último (evento) com o 1º Encontro Científico, porque esses trabalhos apresentados contribuem para nossa profissão.”
 
Beatriz Lélis: “Eu considero de grande importância essa integração, principalmente dos enfermeiros das instituições. Isso realmente foi um elo entre nós, essa aproximação, desde a assistência até o ensino, a extensão e a pesquisa.”
 
Heloisa Faria: “A enfermagem, desde o início, busca um espaço enquanto categoria profissional, e esse espaço a gente conquista com conhecimento. Na Semana de Enfermagem Integrada, a gente busca conhecimento para conquistar esse espaço. É uma maneira de aperfeiçoar a assistência (aos pacientes).”
 
Fernanda Schmidt: “Todos ganham com o evento, não somente os alunos e os docentes, mas os profissionais também, porque se qualificam mais. E quem ganha muito com isso são os pacientes, que recebem a assistência dos profissionais de enfermagem, que é uma profissão que permeia todo o ciclo vital das pessoas.”
 
 
 

Enfermeiros simulam atendimento em manequim

Um minicurso proporcionou a estudantes e profissionais de enfermagem a prática de atendimento utilizando um simulador de paciente.
 
.
O consultor Paulo Sampaio durante o minicurso sobre Simulação Realística.
.
Alunas usam manequim realístico para simular assistência a paciente com parada cardiorrespiratória.

 


O objetivo da Semana de Enfermagem Integrada (SEI) é aproximar e unir as áreas de ensino, pesquisa e extensão e a assistência aos pacientes, através do aprimoramento periódico das técnicas de enfermagem. Segundo a equipe organizadora do evento neste ano, as escolhas dos temas dos minicursos e palestras tomaram como premissa esse caráter do evento, para que o público já absorvesse o conteúdo e passasse a aplicar na sua rotina de trabalho. 
 
Um exemplo foi o minicurso da “Simulação realística” ministrado pelo enfermeiro e consultor Paulo Sampaio da empresa fabricante do equipamento. Essa simulação é feita num manequim disponível em modelos do pediátrico ao adulto. 
 
Como ocorre no treinamento de pilotos de aviação, que utilizam simuladores de voo, os simuladores de pacientes apresentam os sinais vitais e os sintomas clínicos, como se fossem humanos, permitindo que o estudante de enfermagem pratique atendimentos em situações realísticas antes de ingressar no estágio, minimizando, assim, riscos quando for lidar com pacientes de verdade.
 
“Esses simuladores podem ser utilizados na capacitação permanente dos profissionais, como nos treinamentos de novos protocolos”, observa a enfermeira Heloisa Turcatto Gimenes, também coordenadora da SEI e professora do Ifsuldeminas.
 
Em outro minicurso, os profissionais e estudantes aprenderam técnicas de “Interpretação de exames laboratoriais”, ministradas pela biomédica Andreia de Oliveira Chahhoud. Segundo Heloisa, quem assistiu à aula aproveitou uma oportunidade de adquirir conhecimento para acompanhar a evolução dos pacientes através de exames de laboratório, abordagem que não ocorre na graduação e cursos técnicos.
 
Os outros minicursos foram: “Interpretação de exames por imagem”, com a biomédica Nicole Blanco Bernardes, especialista em imagens radiológicas, e “Biodança”, ministrado pela doutoranda da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP/Usp) Helena Cristina Medeiros Vieira Schmidek.
.
Estudantes e enfermeiros durante aula de passagem simulada de sonda vesical de demora em paciente.

 

 

As palestras tiveram os seguintes temas: “O panorama atual dos transplantes no Brasil e a assistência de enfermagem”, com Priscila Caldas de Souza Campos, enfermeira do MG Transplantes; “Lesões por pressão”, ministrada pela enfermeira e docente do Ifsuldeminas (e uma das coordenadoras da SEI 2017) Fernanda Mateus Queiroz Schmidt; “Atenção psicossocial no suicídio”, com Kelly Graziane Giacchero Vedana, professora da EERP/Usp; e “Doenças emergentes e reemergentes – febre amarela”, ministrada por Ludmila Ferraz de Santana, da Secretaria de Saúde de Minas.
 
Enio Modesto
 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus