Saúde

Você está em: Home, Saúde, Os benefícios da Vitamina D para o organismo

Novembro de 2017

Os benefícios da Vitamina D para o organismo

A Vitamina D é essencial para o bom funcionamento do organismo e sua deficiência pode causar sérios problemas à nossa saúde durante a vida. O médico ortomolecular Dr. Roberto Pereira Soares Maia faz uma série de esclarecimentos sobre a Vitamina D, sob o ponto de vista da medicina ortomolecular. 

 

Dr. Roberto Pereira Soares Maia
O médico Otorrinolaringologista e Ortomolecular Dr. Roberto  Pereira Soares Maia: “A substância foi erroneamente batizada de vitamina D, pois na verdade é um hormônio esteroidal poderosíssimo, que controla metabolicamente 10% de nosso genoma.”
 

A vitamina D é uma substância descoberta no início do século XX, no óleo de fígado de bacalhau, que curava o raquitismo. Segundo Dr. Roberto Maia, a substância foi erroneamente batizada de vitamina D, pois na verdade, é um hormônio esteroidal poderosíssimo, que controla metabolicamente 10% de nosso genoma.

“Todas as células de nosso corpo tem receptores para a vitamina D, portanto, sofrem a ação dela. É uma substância importantíssima para nossa saúde e é grátis, pois bastam apenas 20 minutos de sol entre 10 e 14 horas para produzirmos 50 ng/ml de vitamina D, quantidade mais que suficiente para o nosso consumo diário”, afirma o médico.
 
Dr. Roberto Maia cita uma frase do Dr. John Cannell, considerado uma das maiores autoridades em vitamina D do mundo. “Cada um de nós aqui tem pelo menos 85% de chance de ser deficiente em vitamina D, e estamos arcando com as consequências desta epidemia não reconhecida.”
 
A substância é produzida na pele onde os raios ultravioletas (UVB), agindo sobre o colesterol, produzem uma substância que, após passar no fígado e nos rins, se transforma em calcitriol, que é a forma ativa da vitamina D. A falta de vitamina D afeta todos os nossos órgãos e sistemas, podendo desencadear inúmeras doenças, tais como: infecciosas, autoimunes, degenerativas, cancerosas, cardiovasculares, hipertensão, diabetes, depressão, autismo, infertilidade, abortos, etc. 
 
De acordo com o doutor, existem estudos que mostram que a vitamina D é anticancerígena. “Estatísticas mostram que o câncer está aumentando exponencialmente no mundo e este aumento, independente de seu tipo, é cada vez maior à medida que nos afastamos do equador, mostrando a relação entre luz solar (mais vitamina D produzida) e câncer. É lógico que a causa do câncer não é por deficiência de vitamina D, mas sua falta tem um papel importantíssimo na sua gênese.”
 
Segundo Dr. Roberto, o câncer não para de crescer no mundo e agora já passa a acometer pessoas mais jovens e em áreas da pele cobertas, o que é um paradoxo, “pois evitamos mais o sol, usamos mais filtros solares, e o câncer de pele só aumenta. Praticamente todas as pessoas acometidas de câncer de qualquer tipo, em sua maioria, tem a vitamina D baixa. Estudos mostram que melanomas e outros tipos de câncer  são muito mais frequentes em latitudes maiores, onde existe menos tempo de exposição ao sol, com consequente menor produção de Vitamina D.”
 
O médico diz que existem dois tipos de vitamina D: a D2 e a D3. 
“A D2 é de origem vegetal, colocada no leite e outros produtos industrializados com a intenção de enriquecê-los, mas é puro marketing, pois ela pouca ação tem em nosso organismo. A vitamina que age é a D3, que é produzida pelo sol, pela ingestão de alimentos ou suplementada. É muito difícil obter a quantidade de vitamina D necessária somente dos alimentos, sendo necessárias também a luz solar e a suplementação”, explica.
 
 
.

 

 
Questionado sobre os motivos pelos quais há tanta falta de vitamina D atualmente, o Dr. Roberto Maia diz que são várias as causas:
 
 
 ESTILO DE VIDA
 
“Atualmente não tomamos mais sol na quantidade necessária, pois andamos mais de carro e trabalhamos em ambientes fechados, com pouca exposição solar.”
 
 
 HELIOFOBIA
 
“Há um medo excessivo do sol propagado pela mídia, apoiada pela indústria de cosméticos, colocando o sol como um vilão que deve ser evitado a todo custo.”
Temos três tipos de radiações ultravioletas que nos atingem:
 
UVC - fraca e sem importância;
UVB - que atinge a epiderme causando eritema (vermelhidão);
UVA - esta é maléfica, pois penetra profundamente na pele causando mudanças na derme podendo causar câncer, destruindo colágeno e elastina, causando foto envelhecimento, manchas e rugas.
 
De acordo com o médico, o mais incrível, é que a maioria dos filtros solares no Brasil bloqueiam as radiações UVB e deixam passar as UVA, embora tragam no rótulo que são de largo espectro. “Isto explica um pouco porque o uso de filtros solares aumentou 18 vezes no Brasil e o câncer de pele continua só aumentando nas últimas décadas. Os filtros solares usam uma substância denominada 4MBC, que é proibida nos Estados Unidos e na Europa, mas é aceita por aqui, apesar de ter efeito estrogênico, engordando e causando estrias nas mulheres, e feminilização nos homens, além de interferir no funcionamento da tireoide. Usar um filtro solar esporadicamente não causa grandes danos, mas quem usa continuamente, deve estar atento a esses detalhes; por isso é importantíssimo, se for usar filtro solar, usar os que protejam das radiações UVB e principalmente UVA”, alerta o médico.
 
No rótulo deve constar o Fator de Proteção Solar (FPS) e um fator chamado PPD (que protege contra UVA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que seja pelo menos 1/3 do FPS. “Portanto, se tiver oportunidade, compre filtros solares que indiquem o FPS e PPD. Não encontrando, as farmácias de manipulação, acredito que possam produzir um protetor solar eficiente para UVA e UVB”, salienta.
 
 
GORDUROFOBIA
 
O medo excessivo das gorduras e principalmente do colesterol faz com que os consideremos inimigos, mas, não podemos nos esquecer que a matéria prima para a produção de vitamina D é o colesterol, principalmente o LDL, chamado de “mau colesterol”, e isto é tão importante que com colesterol abaixo de 140 cessa a produção de vitamina D.
 

 

 
 
Um estudo russo de 1912 mostrou que coelhos alimentados com gordura animal morreram com as artérias entupidas, e os mesmos autores, em 1914, relataram que as lesões não eram na parede das artérias, mas era um verdadeiro entupimento da luz arterial (cavidade por onde flui o sangue pela artéria), o que era de se esperar, pois coelhos são herbívoros.
 
A indústria de óleos vegetais que tentava convencer os americanos a largar a banha e passar a usar óleos vegetais difundiu ao máximo aquele estudo e ao longo dos anos convenceu a população americana dos “malefícios” da gordura animal, e aos poucos se implantou a ideia de que deveria ser abandonado seu uso. O resultado disto foi que estatísticas mostram que em 1930 foram registrados 3.000 casos de enfarto nos EUA, e em 1960 já eram 60.000. As melhores gorduras para o uso diário são o óleo de côco, azeites extra virgem e banha de porco.
 
“Em 1970, a American Heart Association junto com o FDA e o serviço de saúde dos USA em uma campanha do senador Mc Cartney resolveram intervir na alimentação do americano recomendando a diminuição drástica das gorduras animais na alimentação aumentando carboidratos e óleos vegetais e o resultado ai está, escancarado nas estatísticas: um povo obeso, doente e com altíssimas taxas de enfarte”, explica Dr. Roberto.
 
Vitamina D
“É muito difícil obter a quantidade de vitamina D necessária somente dos alimentos, sendo necessárias também a luz solar e a suplementação.”

A vitamina D é fundamental para o tecido ósseo, pois ela comanda o processo de absorção do cálcio pelo organismo. “A falta de absorção do cálcio na criança causa raquitismo (raro hoje em dia) e no adulto causa osteomalácia (comum hoje em dia) se manifestando por uma dor profunda nos ossos e muito confundida com osteoporose. É importante salientar que somente cálcio e vitamina D não resolvem o problema da osteoporose, pois são importantes também: o boro, silício, magnésio, zinco, progesterona, vitamina K2, vitamina A, musculação, dentre outros. Certamente a vitamina D não pode ser ingerida indiscriminadamente, pois existem patologias que aumentam com a vitamina D, como tumores de paratireoides, linfomas, sarcoidose, tuberculose, e um acompanhamento médico se faz necessário”, ressalta.

 
Sobre a importância da vitamina D durante a gestação, o médico afirma que não deve ser descuidada a suplementação de vitamina D e ácido folínico (existe um polimorfismo em que 30% das grávidas não convertem ácido fólico em folínico que é a forma ativa). “Em um estudo do governo americano, o Dr. Bruce Hollis, sobre suplementação de vitamina D, recomenda 6000 UI por dia para mulheres que estão amamentando, e 4000 UI para grávidas. A Canadian Pediatric Society divulgou que mesmo doses acima de 10000 UI por dia por 5 meses durante a gravidez não alcançaram níveis tóxicos. Dada sua importância para a saúde do feto e da mãe, manter níveis adequados de vitamina D somente trará benefícios para ambos”, salienta.
 
Dr. Roberto enfatiza que a principal fonte de vitamina D é o sol, e 20 minutos por dia suprem nossas necessidades. “Os alimentos ricos em vitamina D são: bife de fígado animal, óleo de fígado de bacalhau, ovo, ostras, suco de laranja (cuidado com a frutose), atum, cogumelos, sardinha, etc.”
 
Sobre a utilização da vitamina D para o tratamento de doenças imunológicas, o médico diz que estudos mostram que o seu efeito é extraordinário nestes casos, e ela deve ser sempre incluída nestes tratamentos. “Interfere diretamente nas células do sistema imunológico, modulando sua ação em benefício do paciente. É indicada em inúmeros tratamentos, principalmente para lúpus e psoríase.”
 
O médico observa que a vitamina D estimula os sistemas naturais de defesa, fazendo com que passem a produzir uma série de peptídeos de ação antibiótica, entre os quais o mais importante é a catelecidina, com ação sobre fungos, bactérias e vírus. “Manter os níveis de vitamina D altos, acima de 50, é essencial para nossa resistência. Cuide bem de sua saúde sem esquecer que a vitamina D é uma parte vital neste processo.”
 

O médico faz ainda outra recomendação: “Nunca se esqueça de procurar ser feliz hoje sem esperar um utópico amanhã, pois o caminho para a felicidade é ser feliz durante a caminhada e, principalmente, cuide de sua saúde para não ter de cuidar de sua doença”, finaliza.

 

.

SIGA AS 5 ROTAS DA SAÚDE QUE VOCÊ SAIRÁ BEM PROCURANDO TER:

• Sono reparador

• Alimentação saudável
 
• Controle do stress
 
• Tempo para se exercitar
 
• Reposição hormonal na andropausa e menopausa
 
 

Renato Rodrigues Delfraro

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus