Turismo

Você está em: Home, Turismo, Aventura em Família

Novembro de 2017

Aventura em Família

O médico gastroenterologista José Armando Maia Righetto é um apaixonado pela vida e pelo que ela oferece de melhor. Ao lado da família e dos amigos, ele não mede esforços para colocar em prática seus sonhos e viajar pelos lugares mais belos e inusitados do mundo. Na sua mais recente aventura, ele viajou de moto, junto com as filhas Giovanna e Daniela, e os genros Fabiano e André, por Argentina, Uruguai, Paraguai e alguns estados brasileiros. Na bagagem, muitas histórias, aventuras e experiências marcantes.  

.
A família em Passos, antes de partir em viagem.
.
José Armando nas Cataratas do Iguaçu.

 

 
Foram 16 dias de viagem e aproximadamente 6.000 km percorridos. Essa foi a segunda viagem internacional que José Armando fez de moto. A primeira havia sido para o Peru, em 2013, com o genro André.

Neste roteiro incluindo países do Mercosul, José Armando teve a companhia das filhas Giovanna e Daniela Righetto, e dos respectivos genros, Fabiano Frederic Carvalho Baggio e André Luís Montez Augusto.

“Nesta viagem tive a companhia de parte da minha família, o que fez com que nos conhecêssemos melhor. Eu conheci aspectos da personalidade das minhas filhas que eu não conhecia, e também serviu para que eu e meus genros interagíssemos ainda mais”, ressalta José Armando.

 André fez o planejamento do roteiro, o levantamento de custos das diárias em hotéis, alimentação e combustível. Giovanna se encarregou das reservas de hotéis e do planejamento dos locais que iriam visitar nas cidades por onde passassem.
.
Café da manhã com os amigos catarinenses.

 

 
Churrasco catarinense.
Churrasco catarinense.

O ponto alto da expedição foi a passagem pela cidade de Schroeder, em Santa Catarina. José Armando e família ficaram hospedados na casa de um casal de motociclistas, Duwi e Cilene. A família catarinense faz parte de um grupo que viaja sempre de moto. “André e eu os conhecemos quando fomos para o Peru. Eles visitaram Passos há alguns anos e tive a oportunidade de acompanhá-los por alguns pontos turísticos da região. Eles nos receberam com uma calorosa recepção e prepararam um ‘churrasco catarinense’, que é parecido com o churrasco uruguaio e diferente do churrasco gaúcho; tinha ainda chimarrão, vinhos artesanais, licor artesanal, salame caseiro entre outros maravilhosos pratos”, conta José Armando. 

Em Santa Catarina a família resolveu alterar o roteiro da viagem e passar pela Serra do Rio do Rastro, que é uma serra cujas curvas são famosas e que segundo José Armando, “é uma das estradas mais bonitas do mundo”, mas devido ao mau tempo, precisaram novamente mudar o roteiro e seguir em frente.
As irmas Daniela e Giovanna em Florianopolis
As irmãs Daniela e Giovanna em Florianópolis.

 

.
José Armando entre os genros André e Fabiano em Florianópolis.

 

Giovanna e Fabiano.
Giovanna e Fabiano.

 

Andre e Daniela.
André e Daniela.

 

 
Giovanna conta que parte do grupo teve que mudar novamente o trajeto inicial devido a problemas com a travessia da balsa em São José do Norte (RS), cidade que fica próxima à fronteira com o Uruguai. O mar recuou e não tinha como o carro atravessar a balsa; as motos conseguiram a travessia em pequenos barcos e o carro teve que contornar a Lagoa dos Patos, passando por Porto Alegre e se reencontrando em Pelotas. Nessa volta, foram percorridos 617 km. “São situações inesperadas que podem acontecer e quem faz esse tipo de viagem tem que estar preparado para essas surpresas”.
 
Sobre as dificuldades que enfrentaram na viagem, José Armando diz que quase chegou a ter hipotermia, e que teve queimaduras nas mãos devido ao aquecimento das manoplas, mas devido ao frio, não sentiu dores enquanto pilotava a moto. No mais, José Armando e Giovanna afirmam que a viagem foi tranquila, e não tiveram grandes contratempos nas estradas e nem com as motos.
 
Aconselha-se não reservar hotel com muita antecedência por causa dos imprevistos e mudanças de roteiro. ”É melhor reservar no dia anterior, pois se for necessário mudar a rota, como no nosso caso, não se perde a reserva. Imprevistos acontecem”, afirma Giovanna.
 
“Numa viagem de longa distância de moto, a maior contra-indicação é viajar à noite, é arriscado. Por isso é fundamental sair cedo”, orienta José Armando.
Sobre os cuidados necessários, José Armando disse que sempre leva em suas viagens, miorrelaxante, anti-inflamatório, colírio, remédio para diarreia, antialérgico, cremes para assadura (importante fazer uso diário) e equipamentos de primeiros socorros; disse também, que é muito importante saber distribuir o peso das bagagens nas “top case” laterais da moto.
 
“Neste tipo de viagem, ir com um grupo grande de pessoas não é aconselhável, pois as pessoas possuem ritmos diferentes. É muito importante ter bom senso, saber ouvir e trocar experiências”, pondera.
 
.
André, Fabiano, Giovanna e Daniela em Florianópolis.

 

 
 

Belezas do Mercosul 
 
 
Depois de chegarem ao Uruguai, José Armando e Giovanna destacam o pôr do sol que viram próximo a Montevidéu como um dos mais lindos que já viram. Em apenas um dia eles conheceram os principais pontos turísticos da capital uruguaia. Foram nas praças, monumentos, cafés e no Mercado do Porto, que é um dos pontos altos para quem gosta de “mangiare” uma boa carne.
.
José Armando, André e Daniela próximo a Montevidéu.

 

 
 
.
Entardecer em Montevidéu.
 
.
A família tomando sorvete em Colonia del Sacramento.
.
Café no Uruguai.
.
A família numa tradicional casa de Tango Portenho..
.
André, Daniela, José Armando e Fabiano, na Argentina.

 


Em Buenos Aires também visitaram alguns dos principais pontos turísticos e foram a um show de tango portenho, que é um show de tango tradicional na Argentina.

No retorno, em Foz do Iguaçu (PR), também tiveram a oportunidade de ir ao Paraguai e andar no Parque Nacional do Iguaçu apreciando as Cataratas do Iguaçu, tendo a certeza que “o Brasil é realmente o país mais bonito do mundo”.

Ainda sobre a experiência de viajar com os filhos, José Armando diz que já está planejando a próxima viagem, e que pretende levar os cinco filhos e suas respectivas famílias, cada um por vez, para uma viagem, de preferência de navio. 

Quando questionado sobre de onde tira tanto fôlego para realizar tantas viagens, José Armando resume: “O importante é sonhar e viver; existir apenas não vale a pena”. 
.
José Armando e André no Mercado do Porto no Uruguai.

 

 
 
Renato Rodrigues Delfraro
 
Veja todas as fotos:
A despedida em Marília

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus