Arquitetura e Construção

Você está em: Home, Arquitetura e Construção, PISCINAS - Lazer e beleza

Dezembro de 2017

PISCINAS - Lazer e beleza

O sonho de ter uma piscina em casa é perfeitamente possível; são diversas opções de modelos e tamanhos até para espaços pequenos como apartamentos.

.
.

 

.
A arquiteta e decoradora Cristiana Soares

 

Ter uma piscina em casa é um sonho de quase todo mundo, mesmo para quem mora em apartamento. A arquitetura e a engenharia oferecem condições para qualquer um se realizar quanto a essa estrutura de lazer, relaxamento e convívio social. As opções são diversas quanto a formas, tamanhos e estilos, com inúmeras possibilidades de designs que irão atender o gosto de cada um.
“A piscina é um objeto de desejo de muitas pessoas, pois ela em uma residência se torna o local de encontro, confraternização, relaxamento, lazer e também local para se exercitar”, comenta a arquiteta Cristiana Soares. “Com aquecimento, a piscina pode ser utilizada o ano todo”, acrescenta.
Para ter uma boa piscina em casa, é preciso, através de um projeto, fazer um bom planejamento: definir o tamanho, escolher o modelo e o estilo, mas, antes de tudo, verificar a insolação e a privacidade, porque é fundamental que haja sol no local durante um bom período do dia e que não tenha acesso visual indesejado.
Se o espaço for uma área ou varanda de apartamento, é preciso se certificar de que a estrutura é capaz de sustentar o peso. “Tudo tem que ser bem estudado”, frisa a arquiteta, que trabalha com projetos de piscinas para todo ambiente e espaço.
MATERIAIS
 
.
A Sauna integrada na piscina é um elemento muito atraente. O visual da sauna é único para quem está desfrutando e vendo a piscina. 

 

 

.
Formatos orgânicos deixam a piscina com um aspecto bem fluído e diferenciado.

 

Segundo Cristiana Soares, dentre os materiais para se construir uma piscina existem o vinil e a fibra, que são opções mais acessíveis, e os revestimentos, como pastilhas, azulejos e pedras. Neste último tipo, está em alta a pedra Hijau, que é de origem vulcânica e tem sido muito escolhida para revestir piscinas por causa de sua beleza e sofisticação, dando à agua os tons verdes do Mar do Caribe. 
Antes de definir o projeto de sua piscina, é importante considerar não somente os custos de construção, mas, também, os de manutenção e a durabilidade do material. A fibra, por exemplo, é mais atraente economicamente, de fácil montagem, mas desbota em poucos anos, o vinil é mais delicado e, também tem uma vida útil curta, enquanto que as piscinas com revestimento, embora sejam mais caras, duram várias décadas. 
“Cada material tem sua vantagem e desvantagem, portanto o cliente tem de ponderar o que é mais adequado para o imóvel, para seu investimento e para suas expectativas visuais e estéticas”, observa a arquiteta. 
 
 
.
A implantação da piscina se deu buscando o visual do horizonte. A piscina foi implantada acima do nível do piso criando um efeito estético diferenciado.

 

.
Para áreas menores a piscina em formato de raia é uma excelente opção, pois em uma área restrita ainda possibilita a prática da natação. A implantação da piscina próxima ao muro também é um artifício para que se tenha mais área de pátio ao redor. 

 

TAMANHO
 
O tamanho e a forma são outros aspectos a considerar ante as muitas possibilidades. O tamanho, obviamente, depende do espaço disponível para a piscina. Se for uma área pequena numa casa ou num apartamento, por exemplo, pode-se optar pela piscina modelo raia, que é bem estreita e comprida, parecida com uma raia de piscina olímpica.
Quanto à forma, ou design, você pode escolher pela retangular, que é mais comum, ou a quadrada, que confere um visual contemporâneo. No entanto, pessoas mais ousadas optam por designs mais criativos, alternando linhas retas e curvas ou integrando o retângulo com o quadrado, ou orgânicos, com linhas arredondadas.
Outra forma interessante é a piscina de borda infinita, que parece se fundir com a paisagem, criando um efeito visual muito curioso e bonito. Esse estilo, porém, é mais limitado, porque requer um terreno com pelo menos um pouco de desnível. 
E, uma novidade, a piscina de borda negativa, que também produz uma fascinante ilusão de ótica, e, o melhor, por sua característica de ter o nível da água acima da borda, num transbordamento constante, mantém-se extremamente limpa, de acordo com a arquiteta. Note-se que a água que transborda, tanto da borda infinita como da negativa, não é desperdiçada, pois volta para a piscina após ser filtrada.
 
ESTILOS
 
Após a escolha do tamanho, formato e material, é hora de definir o estilo do entorno da piscina: deck, pedras, porcelanato, fontes ou cascata, paisagismo, sauna, churrasqueira. Com uma boa orientação profissional, você terá uma área de piscina com design aconchegante, elegante e moderno.
Segundo Cristiana Soares, piso que não escorrega e que não absorve muito calor do sol não existe. O que há no mercado são opções de materiais que reduzem bastante esses incômodos. “Cada um tem suas vantagens e também suas desvantagens”, observa, ressaltando a importância de se avaliar os prós e os contras. 
A arquiteta, cita, como exemplos os pisos cimentícios, que absorvem menos calor, mas são mais difíceis de limpar, assim como as pedras, as mais comuns em áreas de piscinas por serem seguras quanto ao risco de um escorregão, apesar de serem de difícil manutenção, por serem porosas e claras. 
Já o porcelanato, na versão apropriada para área externa de piscina, é mais fácil de ser limpo e, se for cor clara, como o bege, não absorve tanto calor. Quanto a ser escorregadio, o porcelanato adequado com tecnologias para piscinas oferece menor risco, conforme testes de aderência feitos pelos fabricantes.
 
Se a opção for um deck, Cristiana Soares lembra que os de madeira exigem mais manutenção e também absorvem calor. Para quem não abre mão do visual natural para o entorno da piscina, uma alternativa são os pisos que imitam madeira e não exigem tanta manutenção. 
 
.
A área de prainha, parte mais rasa, é muito desfrutada por crianças e também é boa para tomar sol.

 

PAISAGISMO
 
O planejamento da área externa é tão importante quanto o projeto da piscina em si. Por isso, deve-se pensar não apenas no piso, mas também no paisagismo, com a adição de plantas ornamentais, com cuidado para evitar aquelas que soltam muitas folhas e, portanto, dão mais trabalho de manutenção.
Outra atenção é com a casa de máquinas, que é o compartimento onde será instalado o equipamento para o funcionamento da piscina – filtro de água, bombas, trocador de calor e outros opcionais. “As pessoas se esquecem demais de planejar a casa de máquinas, que ocupa bastante espaço”, observa Cristiana, falando sobre diversas possibilidades para camuflar a estrutura, permitindo até mesmo mais conforto para quem for operá-la.
“É importante pensar no todo, não só na piscina, porque isso, esteticamente, vai agregar valor ou não ao resultado final”, ressaltou. 
 
Enio Modesto

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus