Relacionamentos

Você está em: Home, Relacionamentos, AME com Inteligência

Abril de 2018

AME com Inteligência

por Ana Flávia Soares

.

 

Amar com inteligência é em primeiro lugar e antes de tudo amar a si mesmo. Um dos causadores mais comuns em términos de relacionamentos é o esquecimento do amor próprio por parte de um dos companheiros. 
Ao nos relacionarmos com uma pessoa temos a oportunidade de nos conhecermos melhor. Mas, em muitas situações, acontece o contrário. As pessoas esquecem a própria identidade em prol de outra. Quando esquecemos quem somos e passamos a agir e viver em função, exclusivamente, de outra pessoa, sentimos falta de quem verdadeiramente somos. É exatamente aí que o conflito interno começa. Doar-se ao outro e anular-se por ele são ações completamente diferentes, que quando confundidas e praticadas, podem culminar para um relacionamento pessoal e interpessoal chegar ao fim.
 
Amor próprio significa amar-se (ter paixão pela sua história, suas características, conhecer seus pontos fortes, buscar melhorar os pontos fracos) e respeitar suas próprias vontades (saber dialogar, ceder, doar e também dizer não). Quem deixa o que quer de lado, anulando-se, perde seu próprio valor.
 
.

 

Amar com inteligência é utilizar todos os seus pontos fortes para tornar o seu relacionamento vivo e compartilhar de todas as forças de seu companheiro para melhorar os seus pontos fracos. Esforçar-se pela felicidade do outro não é viver por ele, mas sim, caminhar juntos para que possam encontrá-la.
Se você parar de praticar seus hobbies, afastar-se de seus amigos, anular sua própria identidade em prol de outra pessoa, como irá ser feliz? Os relacionamentos dão a oportunidade de conhecermos pessoas com educação e valores completamente diferentes dos nossos e por este mesmo motivo as divergências são comuns. Todo relacionamento há brigas e momentos difíceis, mas quando ele passa a viver de conflitos significa que os momentos ruins prevalecem frente aos felizes. 
 
O confronto nunca é a melhor solução. Se você se relaciona com outra pessoa, é necessário que busque entender os motivos e valores que a fazem pensar diferente de você. Não significa que você deve sempre concordar, mas conduzir o diálogo para que juntos possam encontrar uma solução em comum – que una as concordâncias e descarte as divergências. E, se não for possível você concordar ou compreender o outro modo de pensar, é necessário que respeite os pensamentos da outra pessoa – ainda que isto implique em terminar o relacionamento. Não conseguimos mudar alguém exclusivamente por nossa vontade, mas é possível fazer com que ele reflita sobre, apresentando soluções, perdas diante de tal pensamento ou ação e potenciais ganhos para que ele aja ou pense diferente.
 
Amar com inteligência não significa colocar-se à frente ou atrás do outro, mas ao lado, caminhando juntos, sendo estratégico para incentivá-lo a mudar e não confrontante para obrigá-lo a agir. Utilizar a inteligência significa pensar antes de fazer ou falar. Coloque este comando antes de qualquer ação em seu relacionamento. Diante das divergências questione-se o que você pode aprender com seu parceiro. 
Relacionamentos nos dão a oportunidade de deixar outras pessoas entrarem em nossa vida para somar. Ao se anular ou diminuir-se em prol do outro você irá sentir falta da sua própria identidade e poderá viver à sombra de quem você ama. Ame-se para amar outra pessoa, sempre.
 
 
____________________________________________________________________
 
 

         Como ser mais inteligente com seu parceiro

  • Converse sobre sonhos – casais que não compartilham sonhos e projeções de futuro caminham sem destino. Falar sobre sonhos, metas e objetivos é um modo de reforçar o companheirismo, instigar a vontade de realizar e caminhar lado a lado.

  • Não faça comparações negativas – Comparar seu parceiro (a) com outra pessoa poderá deixá-lo extremamente chateado. Instigue a mudança pelo lado positivo, apresentando os ganhos que a alteração de comportamento ou pensamento trará para o casal.

  • Reforce o que te faz feliz e busque conhecer o que felicita o outro – Fale sempre sobre quais atividades te deixam feliz, desde aquelas que você faz individualmente ou com seu parceiro. Busque conhecer o que deixa o outro bem para que você possa satisfazê-lo.

  • Não deixe seus amigos de lado e nem proíba o outro de manter suas amizades – Distanciar-se de suas amizades ou obrigar o outro a fazer isto é inibi-lo a ser quem ele verdadeiramente é ou anular sua própria identidade. Ter amigos nos faz sentir queridos e amados. Não podemos ter uma única fonte de amor e carinho na vida. Se você está percebendo que os amigos de seu companheiro são más companhias, apresente a ele os pontos que o fizeram ter está opinião.

  • Respeite os valores de seu companheiro (a) – Valores são os fins que nos movem a agir. Por meio da educação e amadurecimento cada pessoa forma os seus valores e por isto age de acordo com eles. Se os seus valores forem diferentes do seu companheiro respeite as divergências. Se eles conflitarem com os seus é hora de repensar se vale continuar a relação.

  • Não tenha comportamentos agressivos e mantenha diálogo respeitoso – Para um relacionamento ir adiante é necessário que o respeito seja sempre mantido. Elevar o tom de voz, fazer xingamentos, agressões verbais, chantagem emocional tornam as relações destrutivas e podem minar o equilíbrio emocional de ambos. Mantenha o mesmo respeito que você exige que tenham com você.

 

Ana Flávia Soares – Graduada em Jornalismo e Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo trabalhou como assessora de imprensa prestando serviços para Sociedade Brasileira de Coaching, Iberia, British Airwyas. Trabalhou diretamente na companhia DERSA, empresa de Desenvolvimento de Estradas do Estado de São Paulo. Especializada em Personal, Professional, Positive e Life Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching, atualmente dedica-se a profissão de Positive Coach, a qual é especialista em resolução de metas, potencialização de resultados e elevação de alta performance.

 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus