Motivação

Você está em: Home, Motivação, O poder da obstinação

Julho de 2018

O poder da obstinação

Num lugar distante daqui, tive o privilégio de encontrar uma jovem muito especial, em meu curso de coaching. Sua história de vida e de luta é um exemplo para todos nós.

.
Viveu a primeira infância numa família unida, com pais trabalhando em bom emprego, comida farta em casa e boas práticas religiosas. De repente, seus pais perderam o emprego e logo veio a falta de dinheiro, as brigas e a separação do casal. Aos sete anos se viu morando na periferia da cidade e passando fome. Apesar dos irmãos mais velhos ela é que tomava a iniciativa de arrumar comida para todos. 
 
Descobriu uma casa que servia sopão às pessoas carentes e todos os dias buscava sopa para se alimentar e alimentar seus irmãos. Mesmo sendo a menina prodígio da família, era muito judiada pela mãe, tendo que cuidar da casa, enquanto a mãe ficava na rua procurando emprego.  Além de arrumar comida para os irmãos, arrumar a casa e ir para a escola, apanhava da mãe, nas mais variadas formas de agressão. Toda a ira da mãe era descarregada nessa pobre garota. Mais tarde, com 12 anos, desejando ganhar dinheiro para melhorar a situação em casa, começou a trabalhar para uma senhora vendendo quitutes num pequeno ponto de comércio na porta da escola onde estudava. Todo dinheiro que ganhava dava para a mãe comprar comida, apesar de ser maltratada por ela. 
 
Aos 14 anos sua ânsia de vencer na vida levou-a a comprar aquele negócio onde trabalhava. Usando seu poder empreendedor e sua dedicação, negociou com a dona do comércio e se tornou proprietária. Ampliou-o transformando num espaço para vender lanches e bebidas à noite. Seu pai, a ajudava no período da noite. Seu negócio cresceu rapidamente e o lucro mantia a alimentação de toda a família. Cansada de tanto sofrer em casa, aos 17 anos, saiu de casa e foi morar sozinha. Vendeu seu comércio e começou a trabalhar numa loja. Embora fosse a melhor vendedora da loja, era maltratada, agora, pela sua patroa. Chateada com aquela situação, saiu do emprego e aprendeu a costurar pela internet. 
 
Começou a fabricar roupas e vender na cidade. Em pouco tempo abriu sua loja de confecções. Rapidinho seu negócio prosperou e ela, apesar dos maus tratos da mãe, não a abandonou, estava sempre ajudando a família. Hoje com vinte e poucos anos, é uma das empresárias mais bem-sucedidas de sua cidade, tem duas lojas, com uma carteira de clientes invejável. Dois de seus irmãos trabalham com ela e ainda continua ajudando seu pai e sua mãe de forma muito solidária. Pelo pai ela tem uma grande devoção porque sempre a tratou bem, pela mãe apesar de tudo, ela declara que a ama e sonha com o dia em que seja possível conviver bem com ela. Seu amor incondicional pela mãe e sua obstinação por vencer na vida, faz calar todos aqueles que gostam de culpar os outros pelos seus fracassos.
 
por José Osvaldo de Oliveira
 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus