Esporte e Saúde

Você está em: Home, Esporte e Saúde, As Políticas Públicas Desportivas

Outubro de 2018

As Políticas Públicas Desportivas

Agora, em outubro, todos nós escolheremos os nossos governantes na esfera estadual e federal.

,
O Brasil, em 30 de outubro de 2007, foi confirmado pela FIFA como sede da Copa do Mundo de 2014; em 2009, o Comitê Olímpico Internacional decidiu que o Rio de Janeiro receberia a Olimpíada; e em 2011, os Jogos Militares Mundiais, ou seja, o Brasil sediou 3 megaeventos esportivos com diversos legados. Hoje, 2018, o esporte voltou a ser apenas um “fantasma” na discussão política. Nos planos de governo de 6 dos 13 candidatos à presidência da República, simplesmente não faz menção ao esporte. 
 
Os 2 últimos governos federais não conseguiram fazer uma conexão entre o investimento em megaeventos e o desenvolvimento do esporte, o legado. O Brasil não priorizou a herança do evento. É um grande contrassenso, há pouco mais de 2 anos, o Brasil era a capital mundial dos esportes, com investimento de bilhões de reais,e hoje, o esporte simplesmente saiu da pauta, não há uma política pública desportiva para os próximos 4 anos, um descaso com o esporte.
A Islândia começou a desenvolver um plano voltado ao esporte como ferramenta de políticas públicas na área da saúde há 20 anos, trata-se de uma estratégia de combate ao consumo exagerado de álcool. Em 1998, uma pesquisa acendeu todos os sinais de alerta da ilha, ao revelar que 42% dos jovens de 15 e 16 anos havia ficado bêbado até um mês antes do recolhimento dos dados. Este ano, uma pesquisa similar apontou queda desse indicador para 5%. A Islândia constatou como o esporte melhora a qualidade do investimento em políticas públicas e como contribuiu para a formação do caráter do cidadão. Nas ondas deste projeto, a Islândia alcançou as quartas de final da Euro 2016 e participou pela primeira vez de uma Copa do Mundo, mesmo estes alcances esportivos não fazendo parte do planejamento, mas o importante foi a melhoria dos índices na área da saúde.
 
O Brasil tem ilhas de políticas públicas desportivas bem desenvolvidas, em Volta Redonda (RJ) no Estádio da Cidadania, tem atividades 24 horas por dia, com clínicas de saúde e práticas esportivas. Santa Rita do Sapucaí, município do sul de Minas, com 36.500 habitantes, possui um projeto chamado “Conexão Esportiva”, iniciado em 2016 que atende 500 alunos, com idade de 5 a 14 anos, nas modalidades de atletismo, basquetebol, handebol, voleibol, futebol, futsal e futebol americano. 
Os bons exemplos são poucos e esparsos num país de grande dimensão como é o Brasil.
Com todas estas informações, espero que os nossos governantes (estadual e federal), possam trabalhar as políticas públicas desportivas com o respeito que merecem, a atividade física é fundamental para a melhoria da saúde, educação, convívio social e muito mais. 
 
por Marcelo Campos Machado

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus