Informe Publicitário

Você está em: Home, Informe Publicitário, Laserterapia X Tratamento Oncológico

Outubro de 2018

Laserterapia X Tratamento Oncológico

A mucosite oral é uma reação caracterizada por inflamação e ulceração da mucosa bucal e gastrointestinal, causada pelos tratamentos de radioterapia (90% dos pacientes em tratamento de radioterapia de cabeça e pescoço), quimioterapia (40% a 76% dos pacientes, dependendo do medicamento usado) e em pacientes submetidos a transplante de medula óssea (75%), resultando no comprometimento da capacidade de comunicação, ingestão de alimentos e da higienização oral, ou seja, da qualidade de vida do paciente; isso também pode ser um fator limitante dos tratamentos.

O que muda na boca com a quimio e com a radio? 
 
A RT (radioterapia) de cabeça e pescoço e a QT (quimioterapia) causam efeitos colaterais na mucosa bucal, a mucosite. Essa inflamação deixa a mucosa muito sensível e vulnerável a machucados, queimaduras e infecções oportunistas, como a candidíase. A RT ainda traz efeitos colaterais para a pele (queimaduras), glândulas salivares (falta de saliva e alteração de paladar), músculos e nervos (trisma, mialgias), entre outros problemas, pois agride diretamente estes tecidos assim como faz com o tumor.
 
Qual a relação entre o tratamento oncológico e o cirurgião-dentista? 
 
O preparo prévio de boca é indispensável. Devemos remover focos infecciosos e situações que possam causar traumas na boca. Também é feita a orientação da higienização, da alimentação e explicação de condições que possam surgir ao longo desse período e que podem ser cuidadas. Além do uso da laserterapia para prevenção da mucosite ela é eficiente para o tratamento de outros problemas advindos da QT e RT. 
 
E o que o laser faz?
 
Acelera a reparação tecidual, cicatriza em menor tempo;
Melhora a qualidade da reparação, estimula a formação do tecido necessário para reparar o dano e trazer de volta a função e a estética;
Modula inflamação, diminui edema/inchaço;
Causa analgesia, tira a dor.
De modo preventivo na mucosite oral, o laser evita a formação das úlceras.
Ele também pode agir nas úlceras que já estão presentes, promovendo rápida cicatrização e alívio da dor.
 
Como é o tratamento de laserterapia?
 
A irradiação do laser não dói, não corta, não queima e não é ionizante. A sessão é rápida e tem ótimo resultado. Quando feita para prevenção, são menos sessões. O atendimento pode ser realizado no hospital, no consultório ou HOME CARE (atendimento em casa).
 
.
 
O LASER também trata outras patologias que podem ou não estar associadas a pacientes em tratamento oncológico, como:
 
• radiodermatite;
• aftas;
• herpes;
• estomatite infantil (“sapinho”);
• candidíase;
• líquen plano com sintomatologia (dor);
• língua geográfica com sintomatologia (dor);
• xerostomia (falta ou até não produção de saliva);
• hipersensibilidade dentinária;
• DTM (disfunção temporo mandibular/ dor na articulação da mandíbula/ bruxismo);
• trismo (travamento da boca)
• paralisia facial (perda da função do nervo);
• nevralgia (dor intensa causada por uma disfunção do nervo trigêmeo);
• entre outros.
 
.
Dra. Carolina Gouvêa Formagio
CRO-MG 46454
 
Graduada em Odontologia pela Faculdade São Leopoldo Mandic
Especialização em Radiologia
Especialização em Estomatologia
Habilitação em Laserterapia 
Capacitação em Laser na prevenção e tratamento da mucosite oral em pacientes oncológicos

 

 

 

.
Av. Juca Stockler, 3181
Aclimação - Passos /MG
(35) 3522-9639
Insta: @dracarolinaformagio

 

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus