Turismo

Você está em: Home, Turismo, As belezas do Havaí

Março de 2013

As belezas do Havaí

Uma família passense acostumada a viajar por diversas partes do mundo, foi pela primeira vez a Honolulu/ Havaí no fi nal do ano passado e apreciaram ao máximo as belezas e os costumes de um lugar alegre, colorido e receptivo.

Alba e Costa Lima na praia de Hanauma, onde há piscinas naturais para a prática de snorkel.

Alba e Costa Lima na praia de Hanauma, onde há piscinas naturais para a prática de snorkel.

 

Para comemorar os 40 anos de casados, completados no fi nal de 2012, o casal Costa Lima e Alba Lemos de Lima, planejou uma viagem para o exterior com as fi lhas Laila e Larissa,o genro Ricardo e o neto Vinicius. A comemoração das “Bodas de Rubi” do casal teria que ser em grande estilo, e por isso a família resolveu escolher alguma parte do mun-do que ainda não conhecessem.

“Alguns fatores infl uenciaram na nossa decisão, a opinião de alguns amigos, como o Dr. Carlo Esper e de uma prima, Jaqueline, que já conheciam e recomendaram o Havaí. Além disso, pesou o fato de que nós iríamos passar o natal com a minha fi lha que mora no Canadá, que fi ca mais próximo ao Havaí, o que facilitou ainda mais a nossa escolha.” comenta Alba, ao ressaltar o quanto gostou da viagem, e que não se arrependeu nem um pouco de ter escolhido esse estado nor-te americano, conhecido no mundo todo pela beleza de suas praias, como roteiro turístico para a data comemorativa.

“De fato eles tinham razão. É lindo! Não existe lugar mais bonito e tão alto astral. É tudo colorido, com muito verde. As pessoas não se preocupam com roupa, todo mundo anda de rasteirinha ou chinelo, roupas coloridas. Os ônibus com for-mato de sereia, os bondinhos em estilo antigo, todo aberto, tornando o city tour prazeroso, ” afirma.

Da esquerda para a direita: Ricardo, Laila, Costa Lima, Alba, Larissa e Vinicius no Navio Missouri em Pearl Harbor, base marítima norte americana que foi atacada pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.
Da esquerda para a direita: Ricardo, Laila, Costa Lima, Alba, Larissa e Vinicius no Navio Missouri em Pearl Harbor, base marítima norte americana que foi atacada pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.

Alba destaca que a segurança foi um dos aspectos que mais lhe chamou a atenção no Havaí: “Fomos a um banheiro público e tinha um óculos de sol esquecido. Ninguém mexe porque o “dono” voltará para pegar quando der falta. Vimos também uma máquina fotográfica esquecida na praia e ninguém mexe. Além disso, como nós fomos durante o período de Natal, que por sinal as comemorações lá não são muito diferentes da nossa, fi quei impressionada com os enfeites de Natal que são colocados nas ruas, e ninguém mexe em nada”, salienta Alba. 

A alegria dos havaianos foi outro ponto ressaltado por Alba. Segundo ela, nas praças de alimentação dos shoppings, existem grupos de dança onde as pessoas apresentam a tradicional “Hula Hula”, típica dança havaiana, e nas lojas e restaurantes, as pessoas são recebidas com a saudação “Aloha”, expressão que signifi ca amor, afeição e paz, que sempre é usada pelo povo havaiano para saudar e se despedir das pessoas.

Quando perguntada sobre a culinária havaiana, Alba diz que nas estradas da ilha, existem muitos trailers que preparam comidas com frutos do mar, devido à imensa quantidade de peixes e outras espécies marítimas existentes lá, que também tem uma forte infl uência da culinária oriental, devido à proximidade com o Japão e a um grande número de ascendentes asiáticos que moram no Havaí.

Ainda sobre a alimentação, Alba diz que só o café da manhã não a agradou muito. “É um típico café norte americano, muito gorduroso, com panquecas, bacon, geleia. Nos primeiros dias foi até bom, “diferente”. Mas, no fi nal, senti falta do nosso pãozinho francês”, brinca.

Alba ao lado dos dançarinos de Hula Hula: tradicional dança havaiana, presente em diversas partes da Ilha.
Alba ao lado dos dançarinos de Hula Hula: tradicional dança havaiana, presente em diversas partes da Ilha.

Outro momento marcante para o grupo foi quando visitaram o navio Missouri, na base naval de Pearl Harbor, que foi atacada pelo Japão no ano de 1941, o que marcou a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, depois de ter toda a sua frota naval destruída pelos japoneses. 

Na praia de Hanauama eles apreciaram belas piscinas naturais, e aproveitaram para fazer snorkel, que é pratica de mergulho na superfície do mar, onde puderam ver bem de perto diversas tartarugas marinhas.

“A água das praias de lá são extremamente limpas, e na praia de Waikiki, que fi ca em Honolulu, dá até para ver peixes”, afi rma Laila Lemos de Lima, fi lha do casal, referindo-se ao local onde se concentra boa parte dos hotéis da capital havaiana, famosos em todo mundo, e onde há uma intensa vida noturna. Outro detalhe percebido durante a viagem é que a areia das praias havaianas não esquenta, e a limpeza das praias é feita por funcionários locais, através de um detector de metais.

Uma dica que Alba dá para quem pretende viajar é fazer um planejamento sobre os custos, como forma de economizar com hotéis e escalas. Para aqueles que pretendem conhecer o Havaí, Alba diz ainda que todas as épocas do ano são propícias para que se conheça a Ilha.

Segundo Alba o custo de vida no Havaí não é caro, sendo “que é possível comer muito bem lá, devido aos vários restaurantes existentes, entre eles, o Outback, uma cadeia de restaurantes norte americana, entre outros”, finaliza.

Renato Rodrigues Delfraro

 

O Havaí é um estado norte americano que fica localizado num arquipélago no meio do Oceano Pacífico, com pouco mais de 20 mil quilômetros quadrados. É o oitavo maior estado americano em área no país. Sua economia é baseada essencialmente no turismo. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama nasceu lá e que, por coincidência, o visitou no mesmo período em que a família esteve lá. O arquipélago que forma o Havaí é conhecido historicamente como “Ilha do sanduíche.”
Larissa e a expressão de saudação do Havai. A saudação ?Aloha?, expressão que significa amor, afeição e paz, que sempre é usada pelo povo havaiano para saudar e se despedir das pessoas.

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus