Literatura e Cultura

Você está em: Home, Literatura e Cultura, Palavras pra que te quero!

Março de 2013

Palavras pra que te quero!

Há palavras que perdem a perna num acidente gramatical.

Há palavras que ninguém entende: porque o mundo vai muito mal.

Há palavras que dizem tudo apenas numa só palavra.

(E palavras que não dizem nada quando as coisas estão sozinhas)

Umas nomeiam verdades que na verdade nem existem.
Outras moram nos livros que ninguém fi cou sabendo.
Algumas vivem na pele daqueles que mudam de pele.
Milhares são jogadas fora no lixo semântico dos dias.

(Poucas, no entanto, se salvam na alma do homem morrendo)

Algumas morrem no berço. Outras?
Assim vão sobrevivendo...
E há palavras que mudam tudo: quando tudo estava perdido.

Palavra que te quero magra:
espeto, antena, palito!

Palavra que te quero gorda:
forno, fartura, fornido!

Palavra que não te quero dura:
pedra, ferro, concreto!

Palavra que te quero mole:
leite, melado, iogurte!

Palavra que não te quero suja:
brejo, lodo, política!

Palavra que não te quero em guerra:
ódio, cólera, raiva!

Palavra que só te quero doce:
amor, melancia, mel!

Palavra que só te quero azul:
oceano, piscina, céu.

Palavra que só te quero verde:
grama, folha, relvado.

Palavra que não te quero presa:
grade, prisão, solidão.

Palavra que só te quero livre:
ave, garça, amplidão.

Palavra que só te quero amando:
pele, beijo, paixão.

Palavras com velocidade:
rápido, lépido, veloz.

Palavra que não tem idade:
saudade, saudade e... saudade.

Antonio Barreto, escritor, é de Passos. Entre seus livros destaca-se a novela O menino que não sonhava só (Editora Mercyryo Jovem-SP). Pedidos podem ser feitos pelo tel: 0xx(11) 5531-8222. / Email: ione@mercuryojovem.com.br / Site: www.mercuryojovem.com.br

© Copyright 2013 Foco Magazine

by Mediaplus