Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Digital

Facebook não empolga mais adolescentes

  • Estudo aponta que devido à chegada dos pais e pessoas mais velhas, adolescentes estão cada vez menos interessados no facebook.

    Facebook.

    Na pesquisa, usuários entre 16 e 18 anos na Europa, apontaram na entrevista para Global Social Media Impact Study, que estão migrando para outras plataformas mais exclusivas, como Instagram, WhatsApp e Snapchat. Foi descoberto também que a maioria se sente envergonhada por ser associada ao facebook.

    Daniel Miller, um dos antropólogos do time de pesquisas, chegou a afirmar que o Facebook está “morto e enterrado” para os adolescentes. “Se uma vez os pais preocupados com suas crianças entraram no Facebook, as crianças agora dizem que sua família insiste em ficar por lá e postar sobre suas vidas”, explicou. “O momento crucial na decisão do jovem deixar o Facebook é certamente o dia em que sua mãe lhe envia um pedido de amizade”, aponta o pesquisador.

    Para exemplificar respectivo comportamento, um case interessante aconteceu com o aplicativo de vídeo Vine: o empreendedor americano Adam Ludwin, um dos investidores do Vine, contou que lançou o Albumatic, serviço social em formato de álbum. Antes de divulgar o produto ao público em geral, ele convidou vinte pessoas para testar a ferramenta. Todas tinham menos de 20 anos. A grande maioria rejeitou o serviço porque ele oferece autenticação a partir do cadastro no Facebook. “Aqueles jovens explicaram que não queriam compartilhar a informação do acesso ao novo produto com seus contatos do Facebook. Tive de criar uma opção tradicional de login e senha”, afi rmou Ludwin. O que os “testadores” não queriam avisar ao mundo é que havia um novo serviço na praça. É, em resumo, o contrário da missão à qual o Facebook se propõe: contar a todos o que cada um está fazendo.

    A psicóloga Esther Ana Krieger completa que: “É normal que os adolescentes tentem se separar dos adultos. Se eles sentem que estão sendo observados pelos adultos, é natural que se afastem.”

    A crescente e rápida popularidade do WhatsApp se justifica exatamente na busca por mais independência, os jovens se sentem mais à vontade longe da supervisão de seus pais.

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.