Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Gestão de Negócios

Os números recentes da economia não são animadores, mas e o seu negócio, como anda?

  • Os números recentes da economia não são animadores, mas e o seu negócio, como anda? Se analisarmos friamente o ano de 2013, podemos perceber que não tivemos um ano “dos sonhos” em nossa economia. PIB em torno de 2,3%, inflação na casa de 5,8%, e tivemos uma alta na taxa de juros Selic em torno de três pontos percentuais: de 7,25% para 10,0% a.a. Números recentes mostram que não tivemos um crescimento tão expressivo nas vendas ao varejo no mês de Dezembro, algo em torno de 5%. Para 2014, deveremos ter ainda a inflação no mesmo patamar de 5,7%, a taxa de juros não deverá ter mudanças significativas, e nosso PIB também deverá ficar em torno de 2,3 a 2,5%. Neste cenário deveremos esperar um ano similar ao de 2013 para nosso negócio? Ou será que podemos esperar um ano melhor e de crescimento? Notem que, quando digo negócio, falo de indústria, prestação de serviços, varejo e agronegócio, em outras palavras, falo de todos os setores da economia.

    Analisando ainda dados recentes, até 2.020 as Classes A e B deverão ganhar 11 milhões de pessoas. Destes 11 milhões, 50% serão fora dos Grandes Centros (cidades médias e cidades pólo), o que signifi ca isto para uma análise econômica? Que apesar do cenário geral na economia brasileira não ser dos melhores, existem nichos de mercado que terão grande crescimento. Para termos uma ideia, as famílias das classes A e B que moram em cidades do interior do país terão papel fundamental na expansão de consumo até 2.020: serão responsáveis por quase 25% do aumento previsto de 854 bilhões de reais no PIB destas regiões. Assim podemos perceber que vários segmentos do nosso mercado terão crescimentos expressivos, mesmo que nossa economia não seja a “dos sonhos”, como dito anteriormente. Vamos citar exemplos que podem ser analisados em relação ao que estamos falando:

    - As montadoras de automóveis dispostas a desbravar novos mercados A e B no Brasil monitoram os lugares com chances de chegar a 1.000 emplacamentos por ano, e automaticamente explorarem com maior veemência este nicho.

    - Para o varejo, uma cidade com aproximadamente 3.500 a 4.000 famílias no topo da pirâmide social, justifica um investimento em um supermercado para este público.

    - No caso das incorporadoras, o alvo são municípios que podem atingir 6.000 famílias abastadas.

    Podemos nos perguntar, mas o que tantas informações têm a ver com meu negócio? Talvez tudo, ou talvez nada. Depende de como você analisa estas informações.

    O que tento mostrar para você, nosso querido leitor, com estas informações, é que temos chances absurdas de crescimento no mercado nacional, estadual ou regional. Temos que analisar e posicionar nossa empresa ou nosso negócio em um segmento específico de mercado. E assim, explorá-lo com a maestria que os grandes estrategistas fazem. Lembre-se da nossa coluna anterior: TEMOS QUE SER O ÚNICO, E NÃO O MELHOR. Pense nisto...

    por Wêsley Andrade

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.