Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Gestão de Negócios

Onde estará(ao) seu(s) negócio(s) em 2030? Você já pensou nisto?

  • Vários autores de estratégia espalhados pelo planeta afirmam que estratégia é pensar no futuro, é posicionar corretamente sua empresa no mercado, é você saber exatamente qual público atende, de que forma o faz e qual produto ou serviço específico oferece a ele. Indo um pouco mais adiante, os estrategistas nos dizem que devemos fazer isto com excelência, diferenciando nossa empresa dos nossos concorrentes e dificultando qualquer possibilidade de sermos copiados. É claro que todos estes estrategistas têm razão nas suas colocações, entretanto, lemos constantemente, destes mesmos estrategistas, que as organizações atuais têm muitas dificuldades de preparar seu futuro, tentando ao mesmo tempo ser líder e dominar o mercado hoje. Assim, na coluna de hoje vou passar algumas dicas que o grande escritor indiano Vijay Govindarajan, mais conhecido como VG, nos traz para sermos líderes hoje, e pensarmos estrategicamente na nossa empresa para o futuro.

    VG propõe que devemos fazer um exercício bastante interessante com os projetos em via de implementação que temos em nossa empresa nos dias de hoje. Trata-se de colocá-los em 3 caixas: a Caixa 1 trata de projetos que temos para gerenciar o presente e melhorar o rendimento dos nossos negócios em curso (competitividade), portanto trata do que pensamos para nossa organização hoje. Já na Caixa 2, devemos colocar os projetos, processos, e produtos/serviços que iremos descartar seletivamente a partir de hoje e, na Caixa 3, lançar os projetos que irão criar o futuro de nossa organização. Normalmente as organizações focam a caixa 1 e acreditam que estão traçando uma estratégia. Embora esta caixa seja crucial, a estratégia não esta aí, mas sim nas caixas 2 e 3. O desafio da caixa 3 é como criar o futuro para o ano de 2030 e, para que isto aconteça, é preciso selecionar e mandar para a caixa 2 o que será deixado de lado a partir de hoje. Indiferentemente do ramo em que está a empresa, sua estratégia sempre deverá ser vinculada à liderança no mercado em 2030, em outras palavras, a estratégia tem a ver com o que será depositado nas caixas 2 e 3, e quase nada com a caixa 1, que é a competitividade nos dias de hoje. A estratégia trata de como criar o futuro enquanto gerenciamos com maestria o presente. São dois processo bem diferentes. Sempre deveremos ter projetos na caixa 1, porém o desafio para conseguirmos/mantermos a liderança no futuro, é termos projetos nas caixas 2 e 3 orientados para 2030.

    por Wêsley Andrade

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.