Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Mulher

Imagem de Deus

  • A imagem que guardamos do criador influencia nosso comportamento, nossos objetivos de vida e até o que nos deixa felizes ou infelizes. O psicanalista suíço Carl Jung, sempre deu importância ao peso que a imagem de Deus tem em nossa psique. Foi ele quem, corajosamente, ligou a psicologia à espiritualidade. Para Jung, “o homem se realiza se atinge a comunhão com o todo. A imagem que temos de Deus pode facilitar a integração, ou ao contrário, torná-la distante e inatingível”.

    Deus pode ser bondoso, compreensivo... ou exigente, disciplinado, autoritário, vingativo... Depende. Para o psicoteologista Benetton, “a imagem que temos de Deus está ligada ao relacionamento que tivemos com nossos pais e com o que intimamente esperamos d’Ele. E se observarmos percebemos que para a maioria das pessoas, Deus está ligado à imagem de um ser que satisfaz necessidades, um provedor, como pai e mãe. Se quero isso ou aquilo, peço para Deus. E Ele me dará. Não estou dizendo que não se possa apelar para Deus, mesmo porque é alentador ter a quem recorrer, porém não devemos estabelecer com Ele apenas uma relação de troca, (eu faço isto e você me dá aquilo).

    Poucas pessoas conseguem ultrapassar suas necessidades infantis e amar Deus de fato, acima de todas as coisas, isto é, acima do que possa acontecer a elas pessoalmente. O cristianismo fala disso no Pai-Nosso, quando dizemos: “Seja feita a sua vontade, assim na terra como no céu”. Adoro este final, demonstra confiança absoluta em Deus e no que Ele reservou como resposta. Podemos até pedir, mas reservamos a Ele a decisão de atender, sem que a relação se abale com isso. Às vezes costumo orar e pedir para que se faça o que for melhor, pois na maioria das vezes não sabemos, de fato, o que é melhor para nós, tão iludidos estamos pelas situações.

    O cristianismo introduziu uma imagem de Deus totalmente revolucionária, não assimilada totalmente até hoje. Ao invés de um Deus irado e vingativo, um Deus amoroso, sábio, compreensivo e pouco conhecido até entre os próprios cristãos, pois ainda há a persistência da imagem de Deus do Antigo Testamento.

    As várias faces de Deus

    1 – Cristianismo – Deus na forma da Santíssima Trindade, Deus Pai (o criador), Deus Filho (Jesus Cristo) e Deus Espírito Santo (o consolador). Deus que inspira amor e não temor.

    2 – Judaísmo – Deus é um mistério que não podemos compreender. No Velho Testamento Deus aparece como Jeová, que ama, protege e pune o povo escolhido.

    3 – Islamismo – Deus é Alá, e Maomé seu Profeta. Nos países islâmicos, se diz que o ser humano é como uma gota rumo a se dissolver no oceano (Deus). É um Deus severo, mas que sabe contemplar com sua generosidade a quem o segue.

    4 – Budismo – Não há imagem de Deus. Para os budistas, tudo que existe no universo tem a mesma natureza (amorosa e luminosa) da qual fazemos parte. Essa nossa natureza brilhante é obscurecida por nossas ações e pensamentos. Revelá-la é como limpar um espelho sujo.

    5 – Espiritismo – Segue a tradição Cristã (os evangelhos). Acredita-se que Deus se manifesta em outros mundos e dimensões.

    6 – Hinduísmo – Deus (Brahma) é uma trindade – com três aspectos distintos Brahma (Criador), Shiva (destruidor) e Vishnu (mantenedor). Deus se manifesta na Terra sob a forma de avatares (enviados).

    7 – Candomblé – Deus criou o universo jogando seu mastro para cima e dividindo em duas partes: Céu e Terra, dia e noite, homem e mulher...

    por Gizele Rabelo

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.