Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Esporte e Saúde

A Copa da FIFA

  • Marcelo Campos Machado
  • A Copa da FIFA

    O Legado

    Enfim, estamos em plena Copa do Mundo de Futebol, a Copa da FIFA, com um investimento superior a 25 bilhões de reais, o mundo está nos assistindo, mas que legado este megaevento nos deixará?

    Os eventos são potenciais catalisadores de desenvolvimento em qualquer contexto. Os megaeventos são bastante admirados pela população e enfatizados pela mídia, devido aos grandes retornos financeiros que os mesmos proporcionam. A Copa do Mundo de Futebol teve um investimento de 25,6 bilhões de reais entre obras de estádios e infraestruturas, de acordo com a última atualização da Matriz de Responsabilidades, documento que reúne todas as intervenções relacionadas com o Mundial a cargo do governo federal, dos governos estaduais e cidades sedes.

    Deste montante, 83,6% saíram dos cofres públicos, somente 4,2 milhões de reais são da iniciativa privada. A maior parte dos gastos foi feita para o transporte e aeroportos, totalizando 60,1%. No transporte terrestre gastaram 8,6 bilhões de reais e no aéreo, 6,8 bilhões de reais. Nos portos foram gastos somente 2,6% dos invesinvestimentos e com as telecomunicações, 1,4%. Nos 12 estádios (reformas e construções), foram gastos 7,09 bilhões de reais, ou seja, 27,7% dos investimentos e 7,3% gastos com segurança. Estas obras, de acordo com dados do governo federal, geraram 3,6 milhões de empregos diretos.

    Mas todos estes investimentos deixarão um legado. Conforme diz o Holder Preuss, professor, economista e autor de diversos livros, legado são todas as transformações ou implicações sofridas pela cidade sede que podem advir dos impactos causados surgidos após o evento. Pode ser de curto, médio ou longo prazo, de acordo com as obras. Não somente os estádios (padrão FIFA) mas, a modernização dos nossos aeroportos e portos e a melhoria das vias de transporte público nas cidade sedes serão o grande legado desta Copa do Mundo.

    Quanto ao legado de médio e longo prazo será a mudança da nossa cultura esportiva, com a construção dos estádios padrão FIFA, teremos que nos “acostumar” a assistir jogos sem invadir os campos, a levar nossas famílias com segurança, e jamais presenciar torcedor morrendo com um vaso sanitário lançado na sua cabeça. Este será o maior desafio que a Copa do Mundo de Futebol nos proporcionará nas próximas décadas.

    por Marcelo Campos Machado

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.