Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Mulher

Para os Pais

  • Vinicius de Moraes teve cinco filhos.

     

    Vinícius de Morais casou-se nove vezes ao longo de sua intensa vida e teve cinco filhos. E mesmo separado e às vezes distante de seus filhos, ele sempre se esforçava para manter o elo intacto. Geórgia, a sua filha mais velha, comenta que “ele nunca foi um pai ausente em todas as suas (muitas) casas tinha um quarto para mim e eu era bem recebida”. Vinícius foi boêmio, original, passional, engajado... e mesmo assim conseguiu viver plenamente a paternidade. Pouco antes de morrer declarou: “Ser pai é como passar de um estado de humanidade para outro, o da paternidade. Ser pai é algo do qual nunca se curará. Ninguém, que tenha sensibilidade, passa incólume por esta experiência. E não importa ser pai separado, as dores e as alegrias serão eternas... enquanto dure.”

    Seus filhos guardam boas recordações dele e falam que o seu segredo era ser um pai amoroso, sempre pronto a ter um diálogo aberto, mostrar interesse genuíno pela vida deles e tratar cada filho como se fosse único. Esse interesse e encantamento pela experiência da paternidade se revelou quando teve sua primeira filha e ainda perplexo com o bebê fez uma confissão autêntica e visceral da sua vivência num poema lindo que ele humildemente chamou de “Poema enjoadinho”.

    Poema

     

    O título do poema já parece crítica, porém com rara sensibilidade o poetinha (ele odiava ser chamado assim) vai nos revelando os dilemas de ter ou não ter filhos e as contradições da paternidade. Ele descreve com propriedade e humor o cotidiano dos pais de primeira viagem, intercalando momentos de êxtase e alegria e outros de aflições e inquietações extremas. E olha que ele se ateve só à infância, que cá entre nós é a fase mais fácil, pois eles ainda dependem de nós, e nós ainda temos a ilusão de ter controle sobre eles.

    As dificuldades começam para valer na adolescência quando eles se creem independentes sem maturidade para sê-los. Aí é que de fato começam ... as noites insones... e a sensação de que ser pai é padecer no paraíso.

    Realmente ser pai é um desafio constante, cada fase é uma fase e cabe a vocês se adequarem a elas. Se o casal está junto e divide as responsabilidades da criação, teoricamente, tudo fica mais fácil, porém se há separação tudo se torna mais complexo. Aí cabe ao verdadeiro pai se desdobrar e se fazer presente sempre, pois você já terá uma ex-esposa, mas não deve se permitir, nunca, ser um ex-pai.

    por Gizele Rabelo

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.