Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Mulher

Viajar é preciso

  • Viajar é preciso.

     

    Adoro viajar para outros países para poder conhecer e vivenciar seus hábitos, costumes, tradições... viajar para lugares desconhecidos é sempre uma oportunidade para o novo entrar em nossas vidas e repensar velhos e gastos padrões. E assim tudo passa a ter um novo significado, apuramos os nossos sentidos e tudo fica mais bonito, tudo nos encanta e seduz a partir de seus mínimos detalhes, porque estamos abertos e dispostos a conhecer e nos reconhecer.

    Meu marido e eu viajamos mês passado para Portugal, já conhecíamos vários países, porém devo confessar que nutria um certo desinteresse pelo país que nos colonizou. Felizmente ele superou nossas expectativas. Viajamos por semanas, por várias cidades do interior para sentir melhor a vida cotidiana, primeiro explorávamos seus castelos, museus, igrejas, ruínas... e depois buscávamos suas peculiaridades: feiras, mercados, bibliotecas, restaurantes típicos, depois alugávamos um carro e conhecíamos as cidades significativas ao redor. No Alentejo nos encantamos com as intermináveis plantações de cortiça, azeitonas, uvas que margeiam a estrada. Em Extremadura, admiramos um litoral acidentado com paredões de 30m que terminam abruptamente no mar. Provamos chouriço e bochecha de porco e nos deliciamos com os travesseiros, queijadas e pastéis de nata, assistimos concertos na praça, conversamos com jovens universitários que cantam fado, assistimos veteranos de capa preta dando trote nos novatos, conhecemos intrépidos casais de aposentados mochileiros que viajam pelo mundo, desfrutamos da companhia de um admirador de Fernando Pessoa que em 1964 foi embaixador no Brasil, caminhamos sobre o teto de uma capela gótica, hospedamos em uma antiga praça de touros dentro de uma cidade amuralhada do século IX...

    Portugal tem uma história sofrida com muitas lutas, conquistas, perdas e muitos pontos e personagens em comum com o Brasil, tem uma paisagem maravilhosa e monumentos magníficos (muitos financiados com o nosso ouro) que emocionam não só pelo que exibem, mas pela conservação que atravessa séculos. Apesar de estar passando por uma crise (segundo a imprensa) vi um país com uma ótima infraestrutura, com cidades pujantes, estradas e pontes excelentes, um sistema de saúde que é modelo na Europa, excelentes hotéis, com um transporte de trem intermunicipal muito eficiente e barato. Lisboa tem 6% da população de São Paulo e possui um sistema de metrô bem mais abrangente que o Paulista. Aliás só para constar, o Brasil recebe apenas 6 milhões de turistas/ano (média que pelo visto não aumentou durante o ano da copa) e Portugal (um país minúsculo) recebe 10 milhões de turistas/ano.

    Viajar é uma experiência intransferível e inesquecível, viaje mais, faça viagens para dentro de si e para o mundo lindo e encantador que existe aí fora. Conquiste, explore, desbrave, emocione-se, perca o fôlego. Viva o presente e não deixe para contemplar depois o que está diante dos olhos. Observe, sinta, prove, saboreie, aprove, reprove (se for o caso). Mas não deixe de fazer algo que seu íntimo pede. Algo que pode ser pequeno, mas é todo seu. Do seu mundo, das suas viagens, da sua história, do seu patrimônio. Único e inviolável. Supere seus limites, saia de sua zona de conforto, corra riscos (inclusive de ficar maravilhado). Seja livre, se permita e viaje sempre (e mais), pois viajar é preciso...

    por Gizele Rabelo

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.