Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Humor

Humor - ed. 66 - outubro/2010

  • SENHA BEM BOLADA

    O médico estava tendo um caso com a enfermeira. Após um tempo, ela lhe disse que estava grávida.

    Não querendo que sua mulher soubesse, ele deu dinheiro à enfermeira, mandou que ela fosse para a Itália e tivesse o bebê por lá.

    - Mas como vou avisar você quando o bebê nascer? ela perguntou.

    - Apenas mande um postal e escreva espaguete. Cuidarei de todas as despesas da criança.

    Sem alternativa, ela pegou o dinheiro e voou para a Itália. Alguns meses se passaram e uma noite, quando o médico chegou em casa, a esposa disse:

    - Querido, você recebeu um cartão-postal da Europa pelo correio hoje, e eu não consigo entender o significado da mensagem.

    O médico leu o cartão, caiu no chão com um violento ataque cardíaco, e foi transportado imediatamente à emergência do hospital.

    O chefe do plantão perguntou à esposa:

    - Aconteceu algo que possa ter causado o ataque cardíaco?

    - Ele apenas leu este cartão postal onde está escrito: “Espaguete, espaguete, espaguete, espaguete e espaguete. Três com linguiça e dois sem.”

     

    MARINHEIRA DE PRIMEIRA VIAGEM

    Na beira do cais, no Rio de Janeiro, estava uma maravilhosa loira gritando que iria se suicidar, até que apareceu um marinheiro que gritou:

    — Moça, não faça isso com sua vida!

    — Eu vou me jogar, a minha vida não presta — gritou a loira, desesperada.

    — Não! Você é linda e ainda tem muita vida pela frente! — dizia o marinheiro, tentando convencê-la.

    — Olha, o meu navio está de partida para a Europa. Por que você não vem comigo, e depois pensa no que faz?

    — Ah, não sei… — disse ela, indecisa, como toda boa loira.

    — Se você chegar lá e ainda quiser se matar, pelo menos você conheceu a Europa!

    — Ah, até que é uma boa idéia — disse ela, se animando e acompanhando o marinheiro até um bote salva-vidas onde ela viajaria, clandestina.

    O marinheiro ficou de trazer comida e água todas as noites pra ela. E assim foi durante mais de um mês.

    Ele trazia comida, água e, como recompensa, ela dava  “carinho” pra ele.

    Até que um dia o Capitão foi fazer uma inspeção nos botes e então se deparou com a linda loira, ficando boquiaberto:

    — O que uma mulher como você faz por aqui?

    E ela, sem outra saída, resolveu contar a verdade:

    — Olha, eu estou aqui seguindo para a Europa porque um marinheiro me trouxe. Todas as noites ele me traz comida, água e nós damos uma trepadinha, e vai ser assim até chegarmos à Europa.

    — O senhor sabe se ainda falta muito?

    — Olha moça, eu acho que ainda vai demorar um bocado — disse o Capitão — Esta é a barca que faz a travessia Rio-Niterói!

     

    .

    O PIQUENIQUE DAS TARTARUGAS

    Uma família de tartarugas decidiu sair para um piquenique. Passados 6 meses, após acharem o lugar ideal, ao desembalarem a cesta descobriram que estavam sem sal. Então, designaram a tartaruga mais nova para voltar em casa e pegar o sal.

    A pequena tartaruga lamentou, chorou e esperneou mas concordou em ir com uma condição: que ninguém comeria até que ela retornasse.

    Três semanas se passaram… Seis semanas… e a pequenina não tinha retornado. Ao terminar a sétima semana de sua ausência, a tartaruga mais velha, já não suportando mais a fome, decidiu desembalar um sanduíche.

    Nesta hora, a pequena tartaruga saiu de trás de uma árvore e gritou:

    - Viu! Eu sabia que vocês não iam me esperar. Agora que eu não vou mesmo!

     

    TÁTICA ERRADA

    O sujeito comenta com o amigo:

    — Eu não sei mais o que fazer!

    — As poucas vezes que volto tarde casa, tiro os sapatos antes de entrar, subo sem fazer um barulho, tiro a roupa no banheiro e entro no quarto bem devagarinho, mas mesmo assim minha mulher sempre acorda e me dá uma bronca daquelas, cara!

    — É que você está usando a tática errada!

    — Eu já chego cantando pneu, dou aquela brecada escandalosa, bato a porta, subo a escada pisando forte, tiro a roupa e os sapatos e jogo tudo contra a porta do armário, pulo na cama e pergunto pra minha mulher: “Que tal uma transadinha?”

    — E ela?

    — Ahh, ela continua fingindo que está dormindo!

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.