Última Edição
Jul / Ago 2019
Jul / Ago 2019

Assinatura Online

Recebe a última edição da
Foco Magazine no conforto
de seu endereço!

Relacionamentos

Os quatro comportamentos capazes de destruir qualquer relacionamento

  • por Ana Flávia Soares

     
    .
    Ana Flávia Soares – Graduada em Jornalismo e Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo trabalhou como assessora de imprensa prestando serviços para Sociedade Brasileira de Coaching, Iberia, British Airwyas. Trabalhou diretamente na companhia DERSA, empresa de Desenvolvimento de Estradas do Estado de São Paulo. Especializada em Personal, Professional, Positive e Life Coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching, atualmente dedica-se a profissão de Positive Coach, a qual é especialista em resolução de metas, potencialização de resultados e elevação de alta performance.

    Relacionamentos são trocas de valores afetivos entre pessoas. Ao iniciarmos uma relação aos poucos vamos descobrindo detalhes sobre as características e personalidade do nosso escolhido. À medida que adquirimos maior liberdade para falar e agir um com o outro, tendemos a desenvolver ações que soam como cotidianas ou consequentes do convívio, contudo, tais condutas não são saudáveis em uma relação, sendo capazes de destruir qualquer vínculo, seja ele familiar, profissional ou afetivo. Conheça as quatro atitudes que acabam com qualquer relacionamento e aprenda como evitá-las.

     
    CRITICISMO –  pessoas que apontam as características negativas do parceiro constantemente. Este tipo de pessoa não é capaz de fazer um elogio ou dar um feedback positivo. O seu comportamento é criticar o tempo todo, tendo a facilidade de minar o bem-estar de outra pessoa. Xingamentos, apelidos maldosos, piadas de mau gosto também são meios de fazer críticas e abalar o emocional alheio.
     
     
    DEFENSIVIDADE – adotar o comportamento de vítima constantemente. Nestes casos, a culpa por algum evento nunca é da pessoa. Este tipo de personalidade não assume a responsabilidade de suas faltas diante dos acontecimentos e sempre culpa o parceiro. É o tipo de pessoa que “nunca” erra.
     
     
    OBSTRUÇÃO – interromper diálogos e conversas sem deixar que o outro expresse a sua opinião. Pessoas que obstruem seus companheiros não permitem que eles falem sobre como se sentem e pensam diante dos fatos. Tal comportamento se expressa quando seu parceiro quer lhe contar algo novo e você não demonstra nenhum tipo de interesse em ouvi-lo, ou acredita que ele tem sempre a mesma opinião que a sua. A obstrução gera a perda de vontade de contar ou abrir-se um com o outro.
     
     
    DESPREZO – dos quatro comportamentos relatados, o desprezo é o mais sério de todos. É quando as almas se separam e os corpos continuam juntos. O comportamento desprezível consiste não só na indiferença de tratamento, mas no sentimento de superioridade sobre o outro. Pessoas que tratam seus companheiros com desprezo, os criticam e humilham publicamente, não manifestam carinho, apontam as falhas, praticam bullying emocional e levam o outro a crer que não é bom em nada que faz. O desprezo gera baixa de autoestima, depressão, perda de autoconfiança e relacionamentos abusivos.
     
    .

     

     
    O seu relacionamento só será saudável se você investir nele. Aprenda dicas que o coaching de relacionamento instiga todos os indivíduos a fazerem em suas relações para melhorarem os vínculos afetivos. Aperfeiçoe o seu mapa do amor, isto é, descubra as vontades e inspirações do seu parceiro e realize-as, cultive o afeto e admiração – relações onde não há admiração não há visão de um futuro em conjunto, volte-se para o outro – escute-o, faça sem que lhe seja pedido, resolva os problemas que podem ser resolvidos – não guarde mágoas ou mantenha o orgulho, não há nada de positivo em guardar sentimentos negativos, e por último, saia da trincheira – reavalie as crenças que você possui que afetam diretamente seu companheiro, não queira ser sempre o dono da razão, reveja seus pensamentos para que vocês possam construir valores em conjunto. 
     
     
    Teste para Identificação de comportamento:
     
    1-) O seu companheiro lhe contou que está pensando em mudar de emprego, pois já não está mais feliz no lugar onde trabalha. Tal mudança irá precisar de um ajuste no orçamento financeiro do casal. Você:
    a-) Tenta entender os motivos da mudança e percebe que isto o fará feliz, então, decide apoiá-lo e se dispõe abdicar de alguns programas para economizar dinheiro enquanto ele procura um novo trabalho.
    b-) Você o critica por pensar em tomar tal atitude. Diz que não é hora de pensar sobre isto, alegando que o pensamento dele não está correto e muitas vezes você também não se sente feliz no que faz, portanto, não há justificativas para ele mudar.
    c-) Você o culpa por querer mudar de emprego e pelo ajuste financeiro que será necessário fazer. Diz que ele não tem o direito de pensar em tal mudança, uma vez que ela implicará em cortes financeiros e abdicações.
    d-) Você não deixa ele nem terminar de falar. Assim que o assunto de mudar de emprego começou, você desvia para o outro e não se mostra interessado em querer saber nada sobre isto.
    e-) Você o despreza. Diz que ele não conseguirá um novo emprego fácil, e portanto, está agindo como um ignorante por pensar que um dia será capaz de encontrar algo melhor que o emprego que já possui.
     
     
    2-)  O seu companheiro está contando uma história que aconteceu sem a sua presença. Nesta situação, ele confundiu uma pessoa na rua e cumprimentou a mesma achando que era um velho conhecido que não via há tempos. Você:
    a-) Escuta atentamente o acontecido já que não estava presente. Se mostra totalmente interessado em ouvir e dar boas risadas.
    b-) Critica o modo como ele agiu diante da situação e afirma que ele é uma pessoa completamente desatenta e por isso, sempre comete erros grotescos. 
    c-) Culpa-o por tal situação e diz que tudo o que acontece no relacionamento de vocês é devido a falta de atenção dele.
    d-) Não deixa ele contar a história, emenda outro assunto sem permitir que ele conclua o fato, pois acredita que as coisas que acontecem com você são mais interessantes.
    e-) Despreza-o, enfatizando que ele é uma pessoa completamente desatenta, chamando o de “burro”, ou coisas do tipo, completando ainda que, caso você  fosse a pessoa enganada não teria dado nenhum tipo de atenção.
     
     
    3-) O seu parceiro lhe convida para fazer um programa inusitado que vocês nunca fizeram em um momento conturbado no seu trabalho. Você:
    a-) Se anima com a ideia e faz vários planejamentos para o programa, enfatizando o quanto este momento fará bem para vocês dois e lhe ajudará a tirar o foco dos problemas.
    b-) Critica-o por tal pensamento. Diz que não tem a mínima vontade de fazer algo diferente neste momento, acrescentando que ele deveria pensar em propostas mais interessantes e urgentes para a situação.
    c-) Culpa-o por estar pensando em fazer um programa a dois em um momento delicado da sua vida. Diz que ele nunca pensa em você e prioriza só os programas que ele quer fazer.
    d-) Não comenta nada sobre o assunto, quando questionada diz que esse não é o momento de pensar em nada parecido.
    e-) Despreza a ideia, alegando que ele é uma pessoa completamente egoísta em pensar em fazer algo inusitado entre vocês devido ao momento caótico profissional.
     
     
    4-) O seu parceiro afirma ter uma opinião totalmente contrária a sua sobre um determinado assunto. Você:
    a-) Escuta atentamente o lado dele para depois explicar o seu, para que juntos, cheguem a um consenso e respeitem a opinião um do outro, ainda que diferentes.
    b-) Critica-o por pensar daquela forma, enfatizando que o pensamento dele não faz nenhum sentido e pede para ele não falar mais sobre elas perto de ninguém.
    c-) Culpa-o por ter uma opinião contrária a sua. Diz que ele sempre tem pensamentos opostos a você e nunca faz nada para que juntos construam uma opinião igual.
    d-) Se recusa a ouvir. Por ser uma opinião contrária a sua, você não abre nenhum tipo de espaço para escutar o que ele tem a falar.
    e-) Despreza-o. Afirma ainda abominar qualquer pessoa que tenha uma opinião parecida com a dele, enfatizando que sob o seu ponto de vista este é um argumento ignorante e medíocre.
     
     
    Some as alternativas semelhantes.
    Alternativas A- Você está construindo um relacionamento saudável e investindo no diálogo. 
    Alternativas B – Você o crítica constantemente e tem facilidade em minar o bem-estar do seu parceiro.
    Alternativas C- Você se vitimiza. Não consegue se enxergar errando no seu relacionamento e coloca sempre a culpa no outro.
    Alternativas D – Você obstrui. Não permite que o seu parceiro expresse os pensamentos e opiniões que possui.
    Alternativa E- Você o despreza, não consegue ver nada de positivo no que ele faz e considera-se superior ao seu companheiro.
     

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.