Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Em Foco

Sem fronteiras

  • Os rincões de Minas Gerais não seguraram o jovem Roberto de Barros Calixto, pelo contrário o levaram muito além das Montanhas de Minas.

    Roberto de Barros Calixto - Presidente da RENOVIAS.
    Roberto de Barros Calixto - Presidente da RENOVIAS.

    O engenheiro civil Roberto de Barros Calixto já rodou meio mundo, mas é em Passos, na tradicional fazenda da família, que abastece suas energias. O filho de José Calixto Barbosa e Ruth de Barros Calixto teve uma bela infância e adolescência na terra natal, tempo em que as ruas centrais da cidade ainda eram de chão batido. Aos 17 anos, após concluir o Científi co, hoje Ensino Médio, seguiu para Belo Horizonte para cursar engenharia civil na Universidade Federal de Minas Gerais. Ao terminar a graduação tinha três propostas de emprego, optou pela Andrade Gutierrez. Na empresa permaneceu por 22 anos e, depois desse período, partiu para uma nova etapa na sua carreira, ao vislumbrar boas oportunidades na implantação das concessionárias de rodovias, no Estado de São Paulo. Hoje é o diretor-presidente da Renovias Concessionárias S/A.

    O filho caçula de uma família de 11 irmãos é um engenheiro que gosta de estar nos canteiros de obras. Essa sua aptidão, somada ao trabalho na Andrade Gutierrez, o fez conhecedor de boa parte da história do país e de países da América Latina, no que se refere à abertura de estradas e construção de hidrelétricas, no final dos anos 70 e na década de 80.

    Seu primeiro canteiro de obras foi no Pará na divisa com a Guiana Francesa. Passou pelo Amazonas, Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí, Ceará, São Paulo e Bolívia. Trabalhou
    na Ferrovia dos Carajás e abriu a estrada de acesso a Serra Pelada, na busca pelo ouro que marcou a história do país. Distante da família, o telefone - ainda precário - e as muitas cartas foram seu elo de ligação com Passos.

    No Rio Grande do Norte conheceu a sua esposa, Sheila Cristina de Oliveira com quem teve as fi lhas Natália e Marina. Hoje a família reside em Araras, depois de rodarem por mais de 20 anos entre os vários estados do Brasil e Bolívia.

     

    Trajetória

    Nessa rica experiência profissional conheceu as muitas faces do país. A miséria no Ceará, tribos indígenas, a busca pelo ouro em Serra Pelada, condições precárias de vida da população, a falta de água potável, a vida na Bolívia - país em que morou por mais de quatro anos.

    Da esq. para dir.: Roberto Leite (cunhado), Maria Helena (irmã), Ruth Calixto (mãe), Paulo Calixto (irmão), Sheila (esposa), Natália (filha), Norma (irmã), Marina (filha).
    Da esq. para dir.: Roberto Leite (cunhado), Maria Helena (irmã), Ruth Calixto (mãe), Paulo Calixto (irmão), Sheila (esposa), Natália (filha), Norma (irmã), Marina (filha).

    Com toda essa bagagem profi ssional, após abrir muitas estradas, percebeu no início das atividades das concessionárias no país uma nova oportunidade de trabalho e de estabilidade de moradia para a formação das filhas. Assim ingressou na INTERVIAS, sediada na cidade de Araras. Quando a INTERVIAS foi adquirida pelo grupo espanhol OHL em 2004, além da INTERVIAS assumiu também a Presidência das concessionárias paulistas Autovias, Centrovias e Vianorte. Com esse novo trabalho pode fixar residência e dar mais tranquilidade para a formação das filhas, sem o transtorno das mudanças. Opção acertada com a formação de Natália em farmácia pela USP e os estudos em engenharia química de Marina, que o faz na UNICAMP. O resultado positivo do seu trabalho o levou a um novo desafio: a presidência da RENOVIAS, cargo que assumiu no final de 2010, empresa controlada pelos grupos ENCALSO/CCR. A Concessionária administra as rodovias do circuito das águas do Estado de São Paulo e do Sul de Minas Gerais.

     

    Realização

    Roberto é um apaixonado pelo que faz. No seu atual trabalho, o desafio é ainda maior, pois participa de todas as etapas das obras como o projeto, a construção, a finalização e a
    manutenção das estradas.

    O trabalho da RENOVIAS é reconhecido pelos usuários, tanto que em recente pesquisa do Datafolha, a empresa teve sua prestação de serviço quantificada em bom e ótimo num percentual
    de 92%.

    Roberto Calixto: ´... todas essas ações muito contribuem para a redução do número de mortes que, hoje, já está em 60% do total anterior às concessões.`
    Roberto Calixto: ´... todas essas ações muito contribuem para a redução do número de mortes que, hoje, já está em 60% do total anterior às concessões.`

    “O Estado de São Paulo pensa muito no futuro, por isso a qualidade das estradas e a segurança são quesitos principais no desenvolvimento de obras e na manutenção”, disse Roberto. Por esse motivo, também, o trabalho das concessionárias no Estado é referência nacional. Além dos bons serviços prestados, as concessionárias paulistas desempenham papel fundamental na busca de novas tecnologias e pesquisas para encontrar alternativas ecológicas e sustentáveis para a construção e manutenção das estradas. Dentre essas pesquisas, o asfalto ecológico, que utiliza pneus, é um dos trabalhos em destaque na experiência profissional de Roberto, pela sua aplicação pioneira no Estado. Essa conquista o levou a vários países para conhecimento desta solução.

    As novas tecnologias que possibilitam o desenvolvimento sustentável e a qualidade do asfalto são constantes desafios nessa etapa de seu trabalho, bem como a segurança dos usuários nas estradas. Para isso, as concessionárias paulistas realizam intenso trabalho social junto aos usuários das rodovias e comunidades lindeiras com ênfase em campanhas de prevenção para caminhoneiros e educação para o trânsito. “Nesse projeto já encontramos motoristas com problemas de visão, entre outras questões de saúde, que colocam em risco a vida dos usuários”, disse Roberto. A empresa também aposta na educação infantil, nas cidades da sua área de atuação, para que as crianças formem uma nova consciência de trânsito no país. “O trabalho de educação para humanização do trânsito e todas essas ações muito contribuem para a redução do número de mortes que, hoje, já está em 60% do total anterior às concessões”, esclareceu.

    Aos 57 anos e com 35 de experiência profissional, Roberto confirma a sua realização profissional. Entre muitas de suas realizações está o título de cidadão ararense, que conquistou em 2007, pelos seus feitos naquela região do Estado de São Paulo.

    Denise Bueno

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.