Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Em Foco

Pesquisador passense recebe Prêmio nos EUA

  • José Luiz Moraes Vasconcelos, recebe Prêmio nos EUA.
    José Luiz Moraes Vasconcelos, recebe Prêmio nos EUA.

    José Luiz Moraes Vasconcelos, 52, mais conhecido como Zequinha, desenvolve uma série de funções. Como professor e pesquisador atua na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita, campus de Botucatu, mas é também pai, colunista, autor de livros, orientador, entre outras atividades. Em julho último, em Nova Orleans, recebeu o Prêmio Pesquisador Internacional em Produção Leiteira, concedido pela Associação Americana de Ciência da Produção Leiteira (American Dairy Science Association), anualmente, a um pesquisador fora dos Estados Unidos que tem contribuído para a melhoria da produtividade em bovinos de leite. Na foto Zequinha com o especialista Dr. Thatcher (Universidade da Flórida) no dia da entrega do Prêmio.

    Zequinha foi premiado pela sua atuação nas áreas de manejo reprodutivo das vacas leiteiras e pelo avanço no conhecimento da fisiologia reprodutiva de bovinos, quanto aos aspectos relacionados ao estabelecimento e manutenção da gestação. O prêmio também reconhece o seu trabalho na formação de jovens profissionais e na sua atuação na empresa Consultoria Agropecuária Júnior (Conapec Júnior). Antes de José Luiz apenas dois brasileiros receberam o prêmio. O passense, orgulho dos pais Hélio Pimenta de Vasconcelos e Maria Inês Moraes Vasconcelos, é casado com Carla e pai de Gabriel e Rafaela.

    O professor Zequinha iniciou sua vida escolar no Grupo Wenceslau Brás, hoje Francina de Andrade. Dividiu a sua preparação escolar entre os Colégios Tiradentes, Estadual Júlia Kubitschek e Imaculada Conceição - CIC. Na capital estudou no Pitágoras antes de ingressar na Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais, onde concluiu o curso em 1980. Nunca parou de estudar e cada vez mais se especializa através da sua formação ou da formação de jovens profissionais.

    Zequinha (sentado ao centro) com a turma - CONAPEC Jr.
    Zequinha (sentado ao centro) com a turma - CONAPEC Jr.

    Apaixonado por tudo o que faz, e não são poucas as atividades que exerce, procura estar em Passos sempre que pode. “Não é fácil conciliar”, admite. Sobre a missão do pesquisador no Brasil, um desafio ou uma missão possível, foi enfático ao dizer: “Tudo é possível, depende de cada um.”

    Quando jovem, embora seu pai não tivesse atuação no setor agropecuário, acompanhava o avô Eduardo Moraes, seu Nenê Padeiro à Fazenda Santa Isabel e o vizinho Luiz Fernando Melo Lemos à Fazenda Alexandria. Com certeza este contato com o meio rural o estimulou a seguir a carreira de médico veterinário. Mas a educação falaria mais alto. Entre as tantas atividades que exerce afirma que tenta ser educador. Simples e prático, o seu maior prazer é estar entre as pessoas que se sente a vontade. Confira abaixo outras pontuações do Zequinha.

    Foco - O Prêmio Pesquisador Internacional em Produção Leiteira, que você recebeu em julho último, é resultado de anos do seu trabalho. O que essa conquista e experiência trazem para você?

    JLMV - Mostra que conseguimos fazer algo diferente, que valeu a pena o esforço e os anos de dedicação.

    Foco - Qual a importância dessa conquista para o Brasil?

    JLMV - Ela é importante, efetivamente, para as pessoas que colaboraram para esta conquista. Mostra que quando queremos, conseguimos.

    Foco - Esse prêmio é também resultado do seu trabalho na empresa Conapec Jr. Como é a sua atuação na empresa?

    JLMV - Cheguei a Botucatu em 1989. Não tínhamos rebanho de leite na escola, mas tínhamos alunos interessados. Começamos a levar os alunos às fazendas. Nessa época começaram a aparecer empresas juniores. Montamos a Conapec Júnior, empresa dos alunos de graduação, na qual sou coordenador. Desde então tento passar minha experiência para os alunos, trabalhando no dia a dia com eles e mostrando a importância do comprometimento com resultados.

    Foco - Quais os trabalhos desenvolvidos pela Conapec Jr?

    JLMV - O principal objetivo da Conapec é expor os alunos a realidade do dia a dia e permitir que expressem seu potencial o quanto antes, além de conseguir certa experiência quando se formam. Isto permite “sair na frente” no mercado de trabalho. Hoje ex-alunos da Conapec tem atuação importante no mercado de leite no Brasil e continuam mantendo o vínculo com a Conapec, mostrando a importância do exemplo positivo.

    Foco - Como pesquisador e professor, como você avalia a produção leiteira, hoje, no Brasil?

    JLMV - O Brasil tem de tudo, produtor e técnico, de pouco eficiente a muito eficiente. Isto mostra que podemos ser competitivos, basta se espelhar nos exemplos que estão dando certo.

    Foco - Qual a tendência desse mercado para os próximos meses?

    JLMV - Não sei, será que alguém sabe? O que sei é que o mercado sempre vai precisar de leite e para nos mantermos na atividade temos que ser eficientes. Para ser eficiente devemos aplicar CORRETAMENTE as tecnologias disponíveis. Este é o desafio dos técnicos e produtores, fazer corretamente, no momento certo.

    Foco - O Brasil tem se destacado em vários segmentos. O país tem condições de se destacar, no mercado externo, através da sua produção leiteira?

    JLMV - Sim, ele tem grande potencial, porém TODA a cadeia produtiva tem que trabalhar em conjunto, visando o mesmo objetivo. É vital proq j duzir leite com qualidade compatível com o exigido pelo mercado externo. Se aumentar a oferta e não conseguirmos vender para o mercado externo, aumenta a disponibilidade no mercado interno, deprimindo preços.

    Foco - Além de professor e pesquisador, qual outra atividade exerce?

    JLMV - Tento ser educador (não apenas ensinar tecnologias, mas principalmente ter oportunidade de passar minha experiência e valores).

    Foco - Como pesquisador, quais os seus novos projetos?

    JLMV - Continuar nossas linhas de pesquisa, que visam aumentar a eficiência reprodutiva de vacas de leite e de corte e, consequentemente, a eficiência destes sistemas de produção. Nosso objetivo final é produzir a custos menores e de forma mais eficiente e sustentável.

    Denise Bueno

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.