Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Informe Publicitário

Santa Casa de Misericórdia de Passos inaugura Centro de Memória Interativo

  • Livros de prestações de contas, objetos de decoração, documentos, louças, quadros, equipamentos cirúrgicos, pratarias, mobiliários, são algumas das peças que prometem encantar os visitantes

    .

    Você conhece a história das Santas Casas de Misericórdias espalhadas pelo Brasil e que atendem milhares de pessoas? Sabe como surgiram e qual a relevância dessas instituições filantrópicas? É capaz de imaginar quem fundou a Santa Casa de Passos e foi o responsável pelo projeto e construção do prédio em 1895?
    Todas essas respostas (e muito mais!) são contadas entre os mais de 1.620 bens patrimoniais históricos, exibidos no Centro de Memória Interativo da Santa Casa de Misericórdia de Passos, que foi inaugurado no último dia 14 de fevereiro.


    Com mais de cinco séculos de existência e um rico acervo de itens, mobiliário, documentos e fotografias, a Santa Casa de Passos, que é reconhecida como uma das primeiras iniciativas filantrópicas para o combate de doenças, atende toda a população do sudoeste de Minas Gerais e realiza com excelência os mais diversos procedimentos e cirurgias, pois conta com um corpo clínico altamente especializado e modernos equipamentos.
    No entanto, além de ressaltar os serviços e os atendimentos realizados no local, que oferece o que há de melhor na região em termos de tecnologia e procedimentos, para o historiador e integrante da empresa Chronos, responsável pelo projeto, Matheus Baltazar, é preciso transmitir muito mais para a comunidade.

    “A princípio, a ideia era revitalizar uma sala que já guardava alguns itens históricos, mas notamos que algo diferente seria melhor porque a Santa Casa de Passos é uma das únicas organizações vivas que existe desde o princípio da cidade, então, logo imaginamos que muita coisa interessante relacionada também a história da cidade seria descoberta”, lembrou.
    Comprovando sua primeira observação, Baltazar contou que uma peça que promete encantar os visitantes é um encadernado, que traz em suas páginas, um pedaço do tecido e a história de todos os modelos de pijamas já usados pelos pacientes no interior da instituição.

     

    .

    “O mais interessante foi percebermos como as pessoas têm o cuidado e o desejo de guardar a história do hospital - e isso é muito raro, principalmente em uma época onde, dificilmente, esse sentimento de pertencimento ao local de trabalho é encontrado. No geral, vemos que as pessoas se consideram passageiras em um ambiente de trabalho e não se importam com esse preservar dos objetos, porém, na Santa Casa, encontramos justamente o contrário, as pessoas se sentem tão partes da instituição, que se sentem na obrigação de guardar e preservar”, ilustrou.
    Orgulhoso de contribuir com toda a história da instituição e feliz ao perceber o comportamento dos colaboradores, o provedor da Santa Casa de Passos, Dr. Vivaldo Soares Neto, garantiu que a experiência ao visitar as exposições realizadas no local será a melhor possível.
    “Temos muito o que contar, um verdadeiro legado, e trabalhamos incansavelmente para reunir as mais belas e interessantes histórias para compartilhar com a comunidade. Um povo sem história é um povo sem passado e sem futuro, por isso, temos certeza que inúmeros serão os aprendizados transmitidos em todas as visitações”, concluiu.

    PARTICIPE DA CAMPANHA:
    Entrega de itens históricos


    E ainda que muitas peças históricas já estejam catalogadas no arquivo destinado ao Centro, o provedor lançou a campanha junto à comunidade para arrecadar todo material relativo à Santa Casa como objetos, fotos e jornais que tenham interesse histórico.
    Para isso, basta procurar o responsável pelo Centro de Memória Interativo na própria instituição ou na administração do hospital.
    Ao declarar o seu desejo de que toda a comunidade participe ativamente nessa entrega de itens históricos, Dr. Fabian Silveira, presidente da irmandade da Santa Casa de Passos e entusiasta deste projeto ressaltou ainda que, quando construída, a Cidade da Saúde e do Saber abrigará um museu para condicionar todo esse acervo histórico.

    TELEFONE PARA CONTATO: (35) 3522-6169

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.