Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Mulher

Sabedoria Milenar

  • .

    Dias desses acordei com um ditado da minha avó na cabeça e fi quei refl etindo sobre a profundidade que se esconde por trás de velhos e gastos dizeres. O ditado em questão todos conhecem: “Se a vida te der um limão faça dele uma limonada”. Ou seja, se a vida te der algo difícil e complexo faça desse momento uma oportunidade para se reavaliar, reelaborar, crescer e se reinventar. Ou de outro modo a crise (o amargo) é uma porta para a auto-descoberta (o doce). Temos que transmutar as experiências que vivemos. 

    E por incrível que pareça é justamente nos momentos de apertos financeiros e de falta de perspectiva que se deve estar atento ao que realmente nos estimula e às saídas que a vida nos mostra. Às vezes, as possibilidades ficam ocultas pela inércia e pela desesperança ou até mesmo pelo medo de arriscar. Porém sempre temos a chance de escolher: renascer ou acomodar. A pressão emocional, em muitas pessoas, dispara o instinto natural de lutar para sobreviver. Somos forçados a buscar soluções, a rever posições, a arriscar e conquistar novos territórios. Nem sempre porque queremos, mas sim porque não existe outra possibilidade. Muitas pessoas reencontram suas verdadeiras vocações ou descobrem talentos quando estão no fundo do poço, desempregadas, por exemplo. Mas é justamente pelo fato de estarem disponíveis que elas descobrem e testam suas habilidades, pois isso seria impossível se estivessem trabalhando 8 ...12 horas por dia. A hora do desemprego é para muitos o momento de concretizar um antigo sonho, ou mesmo se aventurar em áreas inusitadas.

    Nas horas difíceis temos que tomar cuidado e não esquecer as nossas muitas qualidades e não permitir que a auto- -estima fi que abalada pelas difi culdades financeiras ou até mesmo pelo sentimento de rejeição que uma situação assim acarreta. Precisamos aprender a perder, e perceber que não há nada de mau em fi car duas mãos fora da jogada, observando e aprendendo. Ou como diz outro ditado: “Volta-se um passo para depois saltar dois a frente”.

    As oportunidades que surgem são frutos de nosso empenho, talento, motivação e capacidade de superar a rejeição e agir, ir a luta...perseverar. Mas vale também se recolher, orar e dar crédito à providência divina que nos coloca no lugar certo, na hora certa, junto às pessoas certas... A rede da vida parece ter uma memória longa e um alcance ainda mais longo e traz a nós “a sorte” dependendo das sementes que plantamos. Ou seja, façamos sempre da nossa parte que “Deus proverá”.

    Sempre é possível descobrir novos e promissores caminhos mesmo que eles estejam parcialmente ocultos por um momento desfavorável. Isso é o que ensina a milenar sabedoria chinesa, em que crise e oportunidade se complementam na mesma palavra (crise = oportunidade), expressando a ideia de que as circunstâncias favoráveis só surgem para quem não tem medo de ousar e se aventurar. Aliás esse conceito também é nosso velho conhecido e me lembra outro ditado da minha avó: “Quem não arrisca, não petisca”. Resumindo: É hora de ir a luta e conquistar os nossos sonhos.

     

    .

     

    Gizele Rabelo
    Terapeuta da Maturidade (35) 3522-0339

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.