ltima Edio
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Comunidade

FLIPassos; nem só de circo vive o povo

  • Encontro de Escritores na praça Geraldo da Silva Maia. Na mesa: Luís Giffoni, Maurílio Andréias, Léo Cunha e Marco Túlio Costa.
    Encontro de Escritores na praça Geraldo da Silva Maia. Na mesa: Luís Giffoni, Maurílio Andréias, Léo Cunha e Marco Túlio Costa.

    Da feira participaram 24 escritores. A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel), desde o ano passado, quando começaram as providências para a viabilização da FLIPassos, decidiu dois pontos que foram importantes para o sucesso do evento: o primeiro, envolver toda a rede de ensino do município e o segundo foi centrar a feira nos autores mineiros vivos. 

    O trabalho de pesquisa e leitura realizado em cada sala de aula veio aquecendo o interesse pelo evento, aumentando a expectativa de educadores e alunos pelos encontros que seriam realizados nas escolas. Esse foi um diferencial que os escritores, principalmente dez deles que vieram de Belo Horizonte e outras cidades mineiras – fi zeram questão de ressaltar. Esses autores, já acostumados a participar de eventos similares - bienais, salões, feiras de livro – mostraram-se até mesmo surpreendidos pelo nível das perguntas feitas pelos alunos, nos encontros realizados nas escolas. Nelson Cruz, artista plástico, ilustrador e escritor, declarou-se encantado com a escola rural (E.M. Azarias de Melo), que contrariou totalmente o conceito que tinha desse tipo de escola – geralmente locais sem estrutura nenhuma. “Tem uma biblioteca bem montada e, inclusive, encontrei três livros de minha autoria!”

    Esses dois pontos se complementaram. Graças ao foco em escritores mineiros vivos, o encontro autor-leitor foi possível. E isso tem um aspecto importante, principalmente para crianças e jovens, que geralmente imaginam os escritores como fi guras mortas e empoeiradas pelo tempo. Receber no espaço da escola, conversar com o autor de uma história lida, abraçá-lo, tudo isso humaniza o escritor, quebra barreiras e preconceitos.

    Marco Túlio Costa, Maria Antonieta Antunes Cunha (Escritora e Diretora da Fundação Biblioteca Nacional), Samira Visconde (Diretora de Cultura).
    Marco Túlio Costa, Maria Antonieta Antunes Cunha (Escritora e Diretora da Fundação Biblioteca Nacional), Samira Visconde (Diretora de Cultura).

    Outros pontos positivos podem ser acrescentados à FLIPassos. A feira aproximou o público de Passos aos autores locais. Marise Pacheco, seu texto tão contundente, declamado – ou falado, como ela mesma prefere – de uma forma muito própria, certamente será requisitada para novas apresentações em saraus no Palácio da Cultura. A conversa do Sebastião Wenceslau Borges, que fez muita gente se deliciar com a impagável “língua de sapateiro”; a apresentação de Hélio Negrão com seu “Manual da Pessoa”, enfi m, tudo isso se abriu diante dos olhos da população como algo novo. Estava aí, mas não se enxergava.

    O quarto ponto, acho que foi uma quebra de paradigma. Nem só de circo, de mesmice e vulgaridades vive o povo. A cultura que modifi ca a comunidade – como uma feira de livro – tem aceitação popular, sim. A cultura, como a própria leitura, carece apenas da oportunidade do “contato” para fazer efeito.

    Durante o encontro com escritores na tenda da praça Geraldo da Silva Maia, em um sábado chuvoso, não só o local do bate-papo estava lotado, como as pessoas – até mesmo com crianças de colo – visitavam as duas barracas montadas para a venda de livros. As sombrinhas e guarda-chuvas eram símbolos desse interesse despertado. Esse momento foi traduzido pela professora Elisabete Pires, em uma mensagem que me foi passada depois, através do meu site (marcotuliocosta. pro.br) que fala de sua emoção: “Assisti todo o bate-papo com os olhos marejados por ver pessoas simples fascinadas com tudo que viam. Para que uma sociedade tenha interesse pela cultura é preciso que exista o acesso à cultura, e foi o que eu presenciei hoje, por isso, deixo aqui os meus parabéns pela iniciativa e envolvimento e o meu muito obrigada por esse presente maravilhoso e que não tem preço.”

    Esse acesso à leitura é o primeiro passo para um transformar a leitura em um bem público, como defendeu a grande Maria Antonieta Antunes Cunha, escritora, diretora da Fundação Biblioteca Nacional. E esse é um ponto estratégico que destaco, pela sua contribuição à permanência da FLIPassos no calendário de eventos de nossa cidade e de nosso Estado. Maria Antonieta é uma sumidade em Literatura. Quantos, como eu, deram os primeiros passos na Literatura Infantil, orientados por suas lições! Mas como representante de um órgão fomentador de feiras de livro, da formação de bibliotecas, da leitura, sua presença na abertura da FLIPassos foi uma declaração ao país: queremos fazer parte do circuito de feiras.

    A decisão de se fazer uma feira foi do prefeito José Hernani Silveira, que é um leitor, como se sabe. A mentora foi a secretária Rosa Beraldo, que concretizou o projeto ao mobilizar toda a sua equipe, encabeçada pelas diretoras de Educação, Zineti Rattis, e da Cultura, Samira Visconde, para trabalhar.

    Mas o importante – o derradeiro ponto a destacar - é que, se a feira dependeu em seu nascimento do suporte total, logístico e fi nanceiro, dado pela Prefeitura, nas próximas edições não estará condicionada exclusivamente a essa ajuda. Abriu caminhos para o apoio de órgãos fomentadores, ao provar que aqui será bem feita e será bem recebida. É um movimento cultural. E como todo movimento cultural deverá se apoiar, antes, no interesse da própria comunidade.

     

    por Marco Túlio Costa - Escritor

    Com o prefeito Jos Hernani da Silveira, a Secretria de Educao Rosa Cardoso Beraldo, a Diretora de Cultura Samira Visconde e demais escritores que lanaram seus livros nesta noite.
    Palestra do escritor da editora FTD, Jairo de Paula (Casa da Cultura).
    Noite de autgrafos - com a palavra, Antonio Barreto (foto acima) e Sebastio Wenceslau Borges (foto abaixo), no Palcio da Cultura...
    Encontro de Escritores na praa Geraldo da Silva Maia. Na mesa: Lus Giffoni, Maurlio Andrias, Lo Cunha e Marco Tlio Costa.
    Desfile do dia da cidade - participao do escritor Marcelo Xavier.
    Des? le 14 de maio - nem a chuva abalou o nimo das pessoas. No carro, o escritor Gilberto Andrade de Abreu.
    Marco Tlio Costa, Maria Antonieta Antunes Cunha (Escritora e Diretora da Fundao Biblioteca Nacional), Samira Visconde (Diretora de Cultura).

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.