Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Clube da Foquinha

Foquinha

  • Cléo Piantino Silva

    Cléo Piantino Silva
    Cléo Piantino Silva

    Idade: 6 anos

    Mãe: Milena Moura Piantino

    Pai: Marco Antônio Gomes da Silva

    avós maternos:

    Roque Gioacchino Piantino e

    Leusa Moura Bottrel Piantino

    avós paternos:

    João Pedro Ferreira da Silva e

    Ana Rute Gomes da Silva

    O que você gostaria de ser quando crescer? Modelo e Veterinária.

    Nascimento: 15 de junho de 2004
     

     

     

    POEMAZINHO (trabalhando com nh)

    Veja o engenheirozinho

    Pequenino passarinho

    Fazendo o seu ninho

    Para agasalhar os ovinhos

    De sua companheirinha

    De onde virão os filhotinhos.

    Vai pra lá tão de mansinho

    Volta trazendo no biquinho

    Sempre Um pequeno raminho.

    Vai e vem dia inteirinho

    E ela ajuda um pouquinho

    Enfim , pronto o ninhozino.

    Poe ela logo os ovinhos

    E choca seus filhotinhos.

    Começam de manhãzinha

    No bico trazem bichinhos

    E alimentam os filhinhos,

    Até que bem grandinhos

    possam voar e sozinhos

    fazerem seus próprios ninhos

    Para a Vida continuar

    Por isso meu amiguinho

    Respeite os passarinhos

    Que só fazem nos alegrar.

    Hilda Mendonça

    ___________________________________________________________________________________________

    HISTORIAZINHA

    O GALO DESPERTADOR

    Hilda Mendonça

    Conta-se que há muitos e muitos anos atrás, antes do Rádio e da Televisão, existia uma aldeia ao pé de uma montanha.

    Lá havia uma pequena igreja com várias casas em volta.  Ali moravam muitas pessoas. Eles imaginavam que se  não chamassem o Dia, a Noite poderia querer ficar para sempre e a Terra não veria mais a luz do Sol.

    .

     

    Os moradores contavam o tempo assim: começo do dia, meio do dia e fim do dia, assim também para a noite.

    Quando a noite já tinha ficado muito tempo, eles se levantavam e saíam gritando e batendo em latas para acordar o Sol. O mais velho gritava:

    -SENHOR DIVINO! -Acorda o sol! E todos respondiam:

    -SENHOR DIVINO! -Acorda o sol!

    E tanto chamavam que logo o Sol mostrava sua cara gorda no Céu e tudo ficava clarinho… clarinho.

    Mas um dia, toda história tem que ter um mas, lá chegou um forasteiro e pensou logo em ganhar dinheiro com aquela história. Ele disse ao povo que conhecia um bicho que sabia chamar o dia e que todos podiam dormir sossegados.

    -Um bicho! Disseram todos.

    -Bom, é como um passarinho, só que bem grande, o nome dele é Galo. Se quiserem me comprar, eu trago um para cada casa.

    Todo  mundo juntou um dinheirinho e mandou que viessem os galos.

    Dias depois lá chegou o forasteiro trazendo os galos. O povo ainda não estava confiando muito mas o forasteiro disse que era de confiança. Ninguém dormiu para ver se o bicho era bom mesmo.

    Pela madrugada um galo cantou: -COCORICOOOOO!

    Todos se espantaram mas o homem disse que era assim mesmo. Daí a pouco mais um, mais outro, enfim, todos os galos cantaram e o Sol apontou a sua cara gorda. Foi uma festa geral.Ninguém precisava mais ficar acordado para chamar o Sol. E acabou-se a história.

    E o Forasteiro? Dizem que ficou riiiiiico que só!

    ...

     

     

     

    ...

    ...

     

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.