Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Em Foco

Semana Nacional do Trânsito: momento para conscientização

  •  

    Entre os dias 18 e 25 de setembro acontece à Semana Nacional do Trânsito. Esse momento representa uma continuidade nas ações da que vêm sendo promovidas pela “Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito”, proclamada pela Organização das Nações Unidas em 2010. O tema escolhido pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), para a Semana Nacional de Trânsito de 2012 é: “Década Mundial de Ações para a Segurança do Trânsito – 2011/2020: Não exceda a Velocidade, Preserve a Vida”.

    A velocidade é tema inédito na semana nacional, e o principal foco é a conscientização de jovens entre 18 e 25 anos, considerados o grupo mais vulnerável e de maior exposição aos riscos de acidentes de trânsito. Para traçar e realizar as ações, o Contran definiu como prioridade a necessidade de unir esforços intersetoriais, visando a redução dos acidentes de trânsito. Assim como nos anos anteriores, a Semana Nacional de Trânsito será realizada entre os dias 18 e 25 de setembro.

    Segundo informações do Departamento Nacional de Trânsito, (Denatran), atualmente cerca de 2 milhões de pessoas morrem por ano, vítimas da violência no trânsito, sendo que o número de feridos é ainda mais alarmante. Levando em conta que dois dos principais fatores que influenciam no crescimento da taxa de mortalidade no trânsito são a relação “comportamento e segurança dos usuários” e o excesso de velocidade, conforme apontam os relatórios internacionais sobre acidentes de trânsito.

    De acordo com o artigo 74 do Código Brasileiro de Trânsito,“A educação para o trânsito é direito de todos e constitui dever prioritário para os componentes do Sistema Nacional de Trânsito.”.

    Ainda segundo o artigo, “é obrigatória a existência de coordenação educacional em cada órgão ou entidade componente do Sistema Nacional de Trânsito, e os órgão ou entidades executivos de trânsito deverão promover, dentro de sua estrutura organizacional ou mediante convênio, o funcionamento de Escolas Públicas de Trânsito, nos moldes e padrões estabelecidos pelo Contran.”

     

     

    Por mês, morrem no trânsito brasileiro o mesmo número de vítimas de um atentado terrorista.

     

    Em 11 de setembro de 2001, o mundo parou por causa do atentado ao World Trade Center, nos Estados Unidos, onde cerca de 3.000 mil pessoas morreram. No Brasil, o trânsito faz o mesmo número de vítimas todos os meses, índice de fatalidade quatro vezes maior ao de países desenvolvidos.

     

    Alto Custo para o País.

     

    O Brasil tem prejuízo anual de R$ 105 milhões com acidentes de trânsito. São custos com perdas em produção, custos médicos, previdência social, custos legais, perdas materiais, despesas com seguro e custos com emergências entre outros.

     

    .
    .

     

    Excesso de Velocidade

     

    No Rio de Janeiro 41% dos acidentes são causados por excesso de velocidade. É o Estado onde essas infrações são mais freqüentes, seguido de São Paulo (28%) e Brasília (21%).

    Os atropelamentos são responsáveis por 36% das mortes nas estradas brasileiras. O pedestre só tem chance de sobreviver se o veículo estiver a 30 km/h. Se o motorista estiver a 40 km/h, a chance de óbito vai para 15%. A 60 km/h, a chance de morte cresce assustadoramente, vai para 70%. E, caso o pedestre seja apanhado a 80 km/h, provavelmente não terá qualquer chance de sobreviver.

     

    64% dos acidentes são causados por falhas humanas.

    30% têm origem em problemas mecânicos.

    Apenas 6% são consequência de má conservação de via.

     

     

    Principais Causas de Acidentes

     

    Dirigir sob efeito de álcool e substâncias entorpecentes,

    Trafegar em velocidade inadequada,

    Inexperiência e falta de conhecimento,

    Falta de atenção e falha de observação.

     

     

    Não é recomendável dirigir se...

    Não estiver em boas condições físicas e psicológicas, sofrendo de fadiga, sonolência ou após ingerir bebidas alcoólicas ou substâncias entorpecentes.

     

    Álcool e Drogas

     

    Metade das mortes no trânsito envolve motoristas embriagados. Mesmo em pequenas doses, o álcool prejudica a percepção de velocidade e distância, pode causar dupla visão e incapacidade de coordenação. A pessoa alcoolizada tende também a fixas os olhos em movimento e não consegue observar tudo o que acontece no trânsito.

    Algumas drogas para tirar o sono podem fazer o condutor dormir de olhos abertos.

    É importante que fabricantes e comerciantes estejam juntos com a sociedade na luta contra o álcool nas estradas.

     

    Direção Defensiva

     

    Direção defensiva é dirigir com objetivo de prevenir acidentes, atentos às ações incorretas de outros motoristas e das possíveis condições adversas da pista e do tempo. Trata-se da prática de dirigir com segurança, reduzindo a possibilidade de ser envolvido em acidentes de trânsito.

    Dicas Para Um Bom Motorista

     

    Conheça as leis do trânsito

    Use sempre cinto de segurança

    Conheça detalhadamente o veículo

    Mantenha seu veículo sempre em boas condições de funcionamento

    Faça a previsão da possibilidade de acidentes e seja capaz de evitá-los

    Tome decisões corretas com rapidez nas situações de perigo

    Não aceite desafios e provocações

    Não dirija cansado, sob efeito de álcool e drogas.

    Veja e seja visto

    Não abuse de autoconfiança para não colocar a sua vida e nem a de outros em risco

     

    Renato Rodrigues Delfraro

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.