Última Edição
Janeiro/Março 2020
Janeiro/Março 2020

Comunidade

Creche usa a arte para mudar a vida de crianças carentes

  •  

    A Creche Nahim Simão implementou no início de 2012 em sua sede, o projeto “Arte e Cultura”, que utiliza atividades artísticas como ferramentas de transformação das condições de vida de crianças e adolescentes de 7 a 18 anos de idade. Um dos focos do projeto é contribuir para o desenvolvimento de futuros músicos e atores, além de despertar a sensibilidade destes jovens para as artes.
    .

     

    Idealizado pelo coordenador geral do projeto, Felipe Terra, o “Arte e Cultura” já tem dado o que falar. O projeto pode ser defi nido como uma ponte, um meio facilitador para que crianças e adolescentes tenham auto-confi ança na vida. Sua principal característica é de um encontro sensível destes jovens com objetos de arte e cultura, mediante orientação de um instrutor.

    O idealizador e coordenador geral do projeto “Arte e Cultura”, Felipe Terra.
    O idealizador e coordenador geral do projeto “Arte e Cultura”, Felipe Terra.

    A creche Nahim Simão atendia desde então crianças de 6 meses a 6 anos de idade. Enxergando a necessidade de atender um público maior, mais vulnerável às questões da criminalidade nas redondezas, Felipe teve a ideia de elaborar este trabalho com jovens de 7 a 18 anos. Os trabalhos foram iniciados em fevereiro de 2012 e de lá pra cá, os resultados têm sido bastante satisfatórios, tanto para quem aprende como para quem ensina a arte. 

    Garotos e garotas aprendem três vezes na semana canto/ coral, teatro, flauta, teoria musical e também xadrez, que não é uma arte, mas que ajuda na concentração de todas essas oficinas. Hoje o projeto conta com 80 alunos; sessenta deles, estudantes da Escola Estadual Professor Jair Santos que firmou parceria com a creche assim que viu os resultados aparecerem na vida das crianças.

    Professor Messias maquiando Caique Bispo, ator do espetáculo “Terra, Minha Terra”
    Professor Messias maquiando Caique Bispo, ator do espetáculo “Terra, Minha Terra”

    “Ficamos felizes com a inserção das crianças do Proeti (Programa de Educação de Tempo Integral) da Escola Jair Santos participarem também do Arte e Cultura. O que ensinamos veio somar ao que eles já aprendem que é: artesanato, computação, esporte e reforço escolar. A diretora da escola, Sayonara Silveira Oliveira tem gostado da melhora dos seus alunos”, fala Felipe, acrescentando que para este ano de 2013, a intenção é agregar mais 20 crianças ao projeto. 

    Instrutores com currículo exemplar

    O projeto Arte e Cultura conta com 4 professores gabaritados na sua área. Hebert Pampanini, é o professor de Canto e Coral. Trabalha com música há 25 anos e foi aluno do professor Heitor Combat, de Cássia, que fundou o coral “Meninos Cantores” deste município. Atualmente Hebert estuda música erudita na UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos), com pólo em Barretos (SP). Com os jovens do Arte e Cultura ele apresentou no fi nal do ano passado, a cerimônia de Investidura onde cada criança recebeu sua veste de pequeno cantor passense, na Capela de São Francisco, durante uma missa presidida pelo padre Luis Tavares.

    Apresentação de Músicas Natalinas após a Investidura na Igreja de São Francisco.
    Apresentação de Músicas Natalinas após a Investidura na Igreja de São Francisco.

    O professor Messias Maia é o diretor de Teatro do projeto. Messias é formado na Escola CAL (Casa de Artes de Laranjeiras), no Rio de Janeiro, estudou teatro no Rio e foi aluno de Gustavo José Lemos. Esteve à frente do espetáculo ‘Terra, minha Terra”, com as crianças da creche Nahim Simão, cujo texto é de autoria de Gustavo José Lemos e foi remontada por Messias, lembrando a memória do saudoso diretor de teatro passense. Na ocasião, estiveram presentes no Teatro Rotary, nos dias 30 e 31 de outubro, cerca de 500 pessoas, entre familiares e amigos. 

    O docente Henrique Amaral também faz parte do time do projeto de artes na creche Nahim Simão. Henrique é flautista da Orquestra Filarmônica da vizinha Itaú de Minas. Entrou para a creche em agosto de 2012 e já apresentou um número artístico com as crianças em novembro do ano passado, no Palácio da Cultura, durante um Sarau promovido pelo Departamento de Cultura do município.

    Durante a apresentação do espetáculo Terra, Minha Terra.
    Durante a apresentação do espetáculo Terra, Minha Terra.

    Por último, a professora Mariana dos Reis, que é craque no xadrez. Foi campeã mineira de xadrez em 2007 e campeã dos Ticos de 2007, 2008, 2009 e 2010. Está preparando um campeonato deste esporte entre as crianças para este ano de 2013. 

    O projeto Arte e Cultura conta também com apoiadores que acreditam na música, como o 12ª Batalhão da Polícia Militar de Passos que cedeu dois soldados: Elton Kleversson Carneiro Porto e Leonardo Lopes de Oliveira, ambos flautistas. Eles vão até a creche uma vez na semana e compartilham o que sabem com os pequenos.

    Sem doações não haveria projeto

    Felipe Terra faz questão de enfatizar que o Arte e Cultura só é possível existir graças às doações da sociedade passense e de cidades vizinhas. “Através do Telemarketing, recebemos doações também de Itaú de Minas, Furnas e ainda São João Batista do Glória. Com a renda doada, a creche é mantida e parte desta renda vai para o nosso projeto”, fala o coordenador.

    O coral dos Pequenos Cantores de Passos, instruídos pelo professor Hebert Pampanini tem feito sucesso por onde passa. Na Capela de São Francisco, no ano passado, o coral dos Pequenos Cantores teve o privilégio de cantar junto com o já tradicional coral de Passos, Arabesque, do regente Marcelo Esper. As crianças, explica Felipe, fi caram honradas e agradecidas em poderem cantar com o renomado coral, uma oportunidade e tanto para também aprenderem e se inspirarem.

    “Costumamos ressaltar, principalmente para os pais dos alunos, que as apresentações podem ser realizadas em qualquer lugar e não só em igrejas católicas. Queremos mostrar o dom artístico da criança, portanto nada impede que elas cantem em outras igrejas, entidades e escolas”, fala Felipe Terra.

    Para o ano de 2013, há muitos planos em vista. Conforme Felipe, é intenção continuar apresentando o espetáculo “Terra, minha Terra” em vários ambientes, inclusive nas escolas da cidade, já que o texto tem muita poesia e músicas de raiz. Também é intenção manter o Coral Pequenos Cantores de Passos que estará sempre se apresentando em missas, celebrações e cultos no município. Além disso, continuar com as demais ofi cinas de fl auta e de xadrez, realizando campeonatos no decorrer do ano.

    “A importância maior deste projeto que desenvolvemos na creche é esse: dar oportunidade às crianças de conhecerem um mundo onde jamais poderiam conhecer. Temos crianças aqui que podem ser atores consagrados daqui há 10 anos. Mesma coisa acontece na música, há meninos e meninas afi nadíssimos que já estão se destacando muito bem. Isso só ocorre porque há essa oportunidade de aprender. Para nós, o fundamental é eles serem tocados pela arte, isso já é um grande começo!”, fi naliza Felipe Terra.

    Graciela Nasr

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.