Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Esporte e Saúde

Deve-se ouvir música durante a atividade física?

  • Marcelo Campos Machado
  • .
    “A música pode fazer você rir ou chorar, deixar irritado ou acalmar, pode até aliviar a recuperação, e também pode deixar a pessoa mais feliz.”

    Ano novo, vida nova, mudança de hábito, início de uma atividade física, começando com uma caminhada para posteriormente uma corrida.

    Em Passos, na Av. Sabiá e em outros diversos locais, tanto na parte da manhã como no final do dia, várias pessoas estão caminhando, correndo, pedalando, enfim uma nova prática de exercícios e muitos praticam ouvindo música; rock, pop, gospel, eletrônico, rap, funk.....
     
    As opiniões são diferentes quanto ouvir música durante a prática de exercício: uns alegam que a música tira o FOCO dos exercícios, o que pode facilitar lesões por ser um tipo de distração; outros, que a batida da música ajuda a fazer mais atividade física.
    A música pode fazer você rir ou chorar, deixar irritado ou acalmar, pode até aliviar a recuperação, e também pode deixar a pessoa mais feliz.
     
    A música produz alguns benefícios no nosso organismo: diminuição da dor (especialmente nos tratamentos de idosos com sintomas depressivos, as músicas clássicas e instrumentais de Bach e Mozart tendem a aliviar significativamente a percepção da intensidade da dor); melhora a qualidade do sono (há estudos que ouvir música clássica diminui a insônia em jovens estudantes de forma efetiva e segura); melhora a função dos vasos sanguíneos (cientistas experimentaram nos pacientes músicas para se sentirem felizes e com isto resultaram num aumento do fluxo sanguíneo em seus vasos sanguíneos).
     
    Segundo Costas Karageorghis, autor de Applying Music in Exercise and Sport, quando o corpo está muito cansado, as frequências cardíaca e respiratória tendem a entrar em sintonia com o ritmo da música. Neste estudo, a questão de ouvir música durante o treino influencia na diminuição da frequência cardíaca após o esforço. 
     
    Segundo os autores do estudo, os participantes da pesquisa ouviam música com batida lenta após 20 minutos de corrida, com isto, as batidas do coração voltavam mais rapidamente ao estado de repouso do que quando ouviam músicas mais animadas. Por outro lado, ouvir ritmos agitados durante a atividade física aumenta o desempenho físico e a resistência em treinos difíceis, o que demonstra o poder da distração, quando a pessoa está focada na música, não percebe que correu um quilômetro extra.
     
    Com música lenta ou agitada, sem música, o importante é a prática de atividade física, pratique, mude já, seu corpo agradece.
     
    por Marcelo Campos Machado

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.