Última Edição
Nov/Dez 2019
 Nov/Dez 2019

Informe Publicitário

Super Homem

  • "Um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria Que o mundo masculino tudo me daria Do que eu quisesse ter." Super Homem (Gilberto Gil)

    Quando um casal ávido por um filho não se realizou mesmo depois de uma vida sexual ativa, sentimentos como impotência, angústias, frustração, infelicidade são comuns aos parceiros. 
     
    Mas é muito peculiar a forma como o homem lida com tais sentimentos. De modo geral, é notável a dificuldade do mesmo em abordar o que está sentindo e pensando, o que pode distanciá-lo da resolução dos problemas. 
     
    No caso específico da infertilidade, fantasias quanto à virilidade são comuns e a associação que se pode fazer em relação à infertilidade e perda da masculinidade pode ocasionar grande sofrimento psíquico. 
     
    O não cumprimento do “dever procriativo”, que ainda pode fazer parte do imaginário de alguns casais, provoca um turbilhão emocional. 
     
    Para o homem, numa sociedade como a nossa, que impõe a masculinidade acima de tudo, é difícil se ver diante de um diagnóstico de “falha reprodutiva”, quando se confunde impotência com infertilidade. Muitos dos sentimentos como ansiedades e medos são fruto de fantasias e por isso nascem daquilo que não se sabe, que apenas se supõe.
     
    A resposta a estes sentimentos que carrega pode ser principalmente o isolamento social ou muitas vezes da própria companheira, o distanciando de um tratamento adequado.
     
    Não falar é, antes de mais nada, perder a oportunidade de ter dúvidas esclarecidas. Ter acesso à informação e elaboração de respostas aos medos, às fantasias, às ansiedades e às angústias, possibilita a compreensão do diagnóstico, tratamento e principalmente do conflito.
     
    É certo que só a informação pode não resolver a vivência do sofrimento, pois é preciso saber o que tais dúvidas significam para aquela pessoa em particular. Vemos que muitas vezes o médico esclarece para o paciente determinado diagnóstico ou tratamento, mas a sua compreensão persiste equivocada.
     
    É preciso dar espaço ao homem que pode querer dizer de sua dor, mas muitas vezes tem maior dificuldade de se expressar, como nos versos do poeta Gilberto Gil, a ideia de que:
     
    “Ser homem bastaria 
    Que o mundo masculino tudo me daria 
    Do que eu quisesse ter, ainda não é 
    compreendida por todos como ilusão.” 
    Cynthia Machado

     

    © 2019 Foco Magazine. Todos os direitos resevados.